PEQUENOS BANCOS, GRANDES NEGÓCIOS

Por

-

Se você está na bronca com seu gerente e com sua agência, você pode abrir a boca ou pode abrir um banco. Foi-se o tempo em que só se sonhava ter o próprio negócio. Hoje, é cada vez maior o número dos que sonham ter o próprio banco. Não é algo trivial, mas também não é algo impossível.

O caminho para essa realização passa pelas cooperativas de crédito. São instituições formadas pela associação de pessoas para prestar serviços financeiros exclusivamente aos seus associados. Os cooperados são ao mesmo tempo donos e clientes das cooperativas. Eles participam da gestão e usufruem dos produtos.

Além de ser dirigidas e controladas pelos próprios associados, as cooperativas têm outras vantagens e, claro, a principal delas é a possibilidade de oferecer financiamentos com juros, muitas vezes, reduzidos à metade em relação às taxas cobradas pelos bancões convencionais. Essa possibilidade já atrai para as cooperativas mais de 8 milhões de usuários em todo o país. Esse é o universo de felizardos em condições de escapar da insuportável e incorrigível concentração do sistema financeiro. Atualmente, os quatro maiores do país (Itaú, Bradesco, BB e Caixa) detêm quase 80% de todo o mercado nacional de crédito e quase 80% de todos os depósitos dos correntistas brasileiros, segundo relatório oficial Banco Central (BC).

Nas cooperativas, as decisões operacionais, de benefícios, de rentabilidades e de planejamento em geral são dos associados. As linhas de crédito concedidas em prazos e condições mais adequados são dos associados. Os ganhos ou retornos de eventuais sobras ou excedentes são dos associados. E os critérios ou modelos de atendimento direcionados e personalizados são dos associados. Por envolver cuidados e métodos colegiados ou cooperados, a taxa de risco do sistema é mínima por isso, a taxa de juros, é menor. Tudo isso incentivado, monitorado e supervisionado pelo BC, como se pode ver neste link do site oficial https://www.bcb.gov.br/fis/info/instituicoes.asp?idpai= INFCAD que na prática certifica a idoneidade das cooperativas.

Enfim, se envolver os homens certos, as mulheres certas, as pessoas certas... criar uma cooperativa pode ser mais seguro do que criar uma onça.

Comentários

Últimas de Economia