BNDES divulga lista com 50 maiores tomadores de recursos do banco

Os cinco primeiros na lista são a Petrobras, a Embraer, a Norte Energia - grupo envolvido na construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte-, a Vale e a Odebrecht

Por O Dia

Presidente Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), Joaquim Levy
Presidente Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), Joaquim Levy -

Rio - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta sexta-feira a lista dos 50 maiores clientes e todas as operações com eles realizadas nos últimos 15 anos. Os cinco primeiros desta lista são a Petrobras, a Embraer, a Norte Energia -  grupo envolvido na construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte-, a Vale e a Odebrecht. 

Em sexto lugar está o Estado de São Paulo. O Estado do Rio aparece na posição 19 e o município do Rio, em 29, na lista dos cinquenta maiores tomadores de recursos do banco. 

Galeria de Fotos

BNDES divulgou lista de 50 maiores clientes dos últimos quinze anos Reprodução/ BNDES
BNDES divulgou lista de 50 maiores clientes dos últimos quinze anos Reprodução/ BNDES

Já nos últimos três anos, entre 2016 e 2018, os cinco maiores clientes do banco foram Embraer SA, Xingu Rio Transmissora de Energia, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Fibria Celulose SA e Belo Monte Transmissora de Energia SA.

Investimentos no exterior

O banco também melhorou o acesso aos contratos de financiamentos às exportações brasileiras de engenharia para obras no exterior.

Estão disponíveis os contratos de projetos em Angola, Argentina, Costa Rica, Cuba, Equador, Gana, Guatemala, Honduras, México, Moçambique, Paraguai, Peru, República Dominicana e Venezuela.

O BNDES financia exportações de engenharia brasileira para obras no exterior desde 1998 - Reprodução/ BNDES

 

O BNDES financia exportações de engenharia brasileira para obras no exterior desde 1998. Nessas operações de crédito, os recursos do banco são sempre liberados no Brasil, em reais, para a empresa brasileira exportadora. 

O país ou empresa importadora assume a responsabilidade de pagar o financiamento ao BNDES, com juros, em dólar ou euro. Por isso, os contratos de financiamento à exportação envolvem três partes: a empresa brasileira exportadora, o importador e o BNDES, explica o banco. 

Esses financiamentos sempre contam com garantia do Fundo de Garantia à Exportação (FGE), fundo superavitário constituído com prêmios pagos pelos próprios importadores. Ou seja, em caso de não pagamento do financiamento - o que é raro - não há uso de recursos de impostos.

De acordo com o banco, os dados já estavam no site, mas as informações estavam fragmentadas em diversas páginas. Agora os dados estão concentrados em um único link.

Abrir a caixa preta

Durante a campanha eleitoral Bolsonaro, afirmou que iria "abrir a caixa preta do BNDES e de outros órgãos". No início deste mês, o presidente foi às redes sociais reafirmar o compromisso de "revelar ao povo brasileiro o que feito com seu dinheiro nos últimos anos" e disse que muitos contratos seriam revistos.

 

Comentários

Últimas de Economia