Prova de vida do INSS: como não perder o benefício

Pessoas com mais de 60 anos e com dificuldade de locomoção têm que marcar atendimento pelo 135

Por MARTHA IMENES

Yedda Gaspar, da Faaperj, fez o recadastramento no banco Santander em maio, para não ter dor de cabeça
Yedda Gaspar, da Faaperj, fez o recadastramento no banco Santander em maio, para não ter dor de cabeça -
O governo mudou o trâmite para realização de prova de vida dos aposentados e pensionistas do INSS em março, mas, apesar do tempo, isso tem pego muita gente de surpresa. Agora, além da agência bancária onde recebem o benefício, os idosos podem agendar o atendimento pela Central 135 e fazer o recadastramento no posto da Previdência. Mas calma, não é preciso correr para o banco ou INSS para provar que está vivo e ter o benefício preservado. Esse recadastramento anual também pode ser feito pelo site Meu INSS.
De acordo com o próprio instituto, o segurado que está com 60 anos ou mais deve se dirigir à instituição bancária que efetua seu pagamento de benefício e realizar a renovação da senha de prova de vida, com o documento original ou se dirigir a qualquer posto do INSS para fazer a comprovação.
E acrescenta: "O segurado com dificuldade de locomoção, enfermo ou em internação hospitalar deve entrar em contato com a Central 135 e solicitar a visita de um servidor para comprovação". Ainda em fase de testes o reconhecimento facial dos segurados via celular para prova de vida ainda não chegou ao Rio, informou o instituto.
Vale destacar que o procedimento para os demais segurados continua sem alterações, e deve ser feito através da rede bancária, dentro do período de 12 meses. Os bancos fazem os comunicados da necessidade de realizar o procedimento anual por meio dos terminais eletrônicos de autoatendimento e sites na internet.
Por falta de recadastramento, somente no Rio de Janeiro, 39.374 pessoas tiveram o benefício suspenso conforme dados de março. "É bom ficar atento às datas de prova de vida para não ficar sem o benefício", alerta Yedda Gaspar, presidente da Federação das Associações de Aposentados do Estado do Rio de Janeiro (Faaperj). "Fiz meu recadastramento em maio no Santander, prefiro não ter dor de cabeça", acrescenta D. Yedda.

Reativação
E como proceder caso o benefício seja suspenso? De acordo com João Badari, do escritório Aith, Badari e Luchin é bem simples: "Basta que o segurado que teve o benefício suspenso se dirigir ao banco onde recebe o pagamento, mas caso não tenha conta corrente, é preciso ir ao INSS".
Para ter o benefício reativado é preciso apresentar no local que fizer o recadastramento, no banco onde recebe o benefício ou no posto do INSS, um documento de identificação com foto, como identidade, Carteira de Trabalho e Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo.
Quem não pode sair de casa por motivo de saúde, pode ser representado por outra pessoa. O procurador precisa ir a uma agência da Previdência com um atestado médico emitido há menos de 30 dias e uma procuração registrada em cartório.

Datas variam de banco para banco
As datas para comparecimento ao banco variam de acordo com cada instituição. Alguns bancos utilizam a data do aniversário do beneficiário. Outros convocam o segurado um mês antes de vencer o prazo da última prova de vida realizada.
Na dúvida, aposentados e pensionistas, com menos de 60 anos, devem procurar diretamente o banco pelo qual recebem o benefício.
Os bancos oferecem a opção de ligações gratuitas. No Bradesco o número é 0800 704 8383. No Itaú, 0800 722 7377; Santander, 0800 762 7777. No Banco do Brasil é possível ligar para 0800 729 0722, e Caixa Econômica Federal 0800 726 0101.
É importante ressaltar que quem perder a data ou deixar de fazer a prova de vida pode ter o benefício suspenso. Dessa forma, até que o comparecimento à agência ou procedimento no autoatendimento seja realizado, o aposentado ou pensionista pode ficar sem receber.

Comentários