Dada a largada para a Black Friday

Cliente pode consultar preços e produtos em sites especializados na internet. Fiscais do Procon estarão nas ruas hoje para orientar o consumidor contra abusos

Por Larissa Esposito*

A Black Friday começa hoje e, além de aproveitar bem os descontos, nada melhor que levar a mercadoria na hora da compra e ter poder para negociar ainda mais os preços. Essa expectativa é confirmada por pesquisa do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio), que aponta que cerca de 41% dos consumidores pretendem comprar nas lojas físicas durante a data. Mesmo assim, as vendas online não ficam para trás. Conforme estimativa da Ebit Nielsen, o comércio digital deve faturar R$ 3,07 bilhões, uma alta de 18% na comparação com o ano passado.

Por isso, O DIA listou dicas para o consumidor não cair em furada. Para começar, hoje, a equipe de fiscalização do Procon Estadual irá a lojas selecionadas para verificar se está ocorrendo de fato a aplicação de descontos em produtos participantes das promoções. Além disso, a autarquia informa que vai inibir possíveis práticas de vendas irregulares no momento em que estiverem acontecendo.

Desde outubro, o Procon tem acompanhado os preços das mercadorias e distribuído cartilhas educativas a representantes do CDL-Rio. Os membros do clube se comprometeram a compartilhar o material com os seus mais de 12 mil associados, que atuam em mais de 30 mil pontos de vendas.

Os consumidores podem ter acesso a esse conteúdo também nas redes sociais da autarquia. Mas caso ainda desconfie das ofertas, cabe pedir ajuda ou abrir uma reclamação nos postos de atendimento presencial, pelo site www.procononline.rj.gov.br, pelo aplicativo "Procon RJ" ou pelo telefone 151.

As empresas que estiverem realizando ofertas irregulares estarão sujeitas ao processo administrativo por suspeita de publicidade enganosa ou abusiva, proibida pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), e poderá acarretar em multa.

No caso de compras via internet, "verifique se o site tem endereço comercial físico e anote telefones", recomenda a especialista em Direito do Consumidor, Camille Missick. "Leia com atenção as regras para a efetivação do negócio, que, geralmente, estão em letras pequenas no pé da página. Não faça depósitos bancários em nomes de pessoas físicas."

Mas como proceder em caso tenha caído em ofertas fraudulentas? Camille responde: "O cliente deve procurar o Procon, fisicamente ou via internet. E, para o caso de a compra ter sido realizada com o cartão de crédito, depois de se ter identificado o golpe, a sugestão é procurar imediatamente o banco administrador do cartão, para comunicar o ocorrido."

Dicas da plataforma Zoom

Confira se o desconto apresentado é realmente relevante. Para isso, o ideal é decidir antes os produtos que deseja e cadastrar um alerta de preços.

Escolha a melhor forma de pagamento. Alguns produtos apresentam valores diferentes se forem pagos à vista ou com parcelamento.

Pesquise sobre o produto escolhido para não agir por impulso e comprar apenas pelo desconto oferecido na data.

Use filtros de busca para encontrar os eletrônicos que atendam às suas necessidades.

Fique atento ao prazo de entrega caso pretenda antecipar as suas compras de Natal. Os produtos devem chegar antes do dia 24 de dezembro.

Preste atenção na taxa de entrega, que geralmente não está inclusa na oferta. Dependendo do valor, pode ser que o desconto não seja tão proveitoso assim.

Certifique-se de que está comprando em uma loja confiável. É importante verificar se o site tem dados blindados. Quando fornecer seus dados pessoais, veja se há o desenho de um cadeado no canto esquerdo do local onde se digita o nome do site.

Conheça os seus direitos. A internet permite que o consumidor se arrependa da compra. O prazo é de sete dias, contados a partir do dia do recebimento, para devolvê-lo.

Saiba o que fazer se receber o produto com defeito. A substituição de produtos defeituosos ou com mau funcionamento é garantida pelo Código de Defesa do Consumidor.

Fique atento ao processo de troca de produtos comprados pela internet. A política de troca pode variar de loja para loja.

Como caber no orçamento

Cuidado para não se endividar ao comprar por impulso. Este é o alerta do coordenador do MBA de Gestão Financeira da Fundação Getulio Vargas (FGV), Ricardo Teixeira, para os consumidores nas compras durante a Black Friday, ainda mais com a grana do FGTS e do 13º salário em mãos.

O professor diz que é necessário estabelecer um valor máximo total para a compra que não comprometa a renda.

"Para quem pesquisou anteriormente e tem claras quais são as suas possibilidades financeiras, a Black Friday tem bons descontos", recomenda. "Porém, tente pagar à vista. Em lojas físicas, você pode conseguir desconto. Caso você não consiga, se for possível, tente fazer as compras no menor número de parcelas."

Para comprar bem pela internet

Os descontos nos produtos costumam aparecer aos montes já nos primeiros minutos da sexta-feira, mas seguem pelos dias seguintes.

"Então, para não ter problemas com lentidão dos sites ou para finalizar a compra, é recomendável já ter o cadastro prévio no site de interesse", orienta Camille Missick, especialista em Direito do Consumidor.

Para se garantir, "a mais segura forma de comprar via internet é pesquisar o nome e a reputação do site antes de realizar a compra", pontua a especialista.

Após a finalização da compra, o consumidor tem o prazo de arrependimento de sete dias, onde ele pode desistir da transação independentemente do motivo.

"O cliente deve entrar em contato com a loja virtual e informar que deseja trocar ou receber o valor de volta".

Comentários