2020: o ano dos feriadões

Finais de semana prolongados no próximo ano serão o dobro de 2019. Deste total, nove são nacionais

Por MARTHA IMENES

Carnaval é o primeiro feriadão do ano em 2020
Carnaval é o primeiro feriadão do ano em 2020 -
O ano de 2019 nem acabou e já há quem esteja olhando para os feriados prolongados no ano que vem, que terá quase o dobro de datas comemorativas, que devem cair em sextas-feiras, segundas, terças ou quintas, passíveis de emendas com o fim de semana. Serão nove datas comemorativas em 2020 contra cinco feriados estendidos de 2019. Se contar os feriados de Zumbi, São Sebastião e São Jorge, esse número chega a 12. O número de dias de folga pode ser ainda maior em algumas cidades, porque estados e municípios também podem decretar feriados locais. A lista oficial de feriados nacionais ainda não foi divulgada pelo Ministério da Economia.

Mas por que tantas datas comemorativas em um ano? Isso se dá porque 2020 é ano bissexto, com 366 dias. Com isso, feriados que caíram aos fins de semana em 2019 ocorrem na segunda ou na terça-feira em 2020. Esse é o caso de Tiradentes (21 de abril), Dia da Independência (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro).

A primeira folga prolongada de 2020 é o Carnaval, ponto facultativo, que cai no dia 25 de fevereiro. Para emendar, é preciso que a empresa decrete dias de folga para os funcionários. Já servidores públicos não trabalham. A lista de folgas prolongadas também conta outro ponto facultativo, Corpus Cristhi, em 11 de junho. O primeiro feriado do ano, 1º de janeiro, cai na quarta-feira.

O que pode ser bom para o trabalhador, devido à possibilidade de descansar, certamente não será para o empregador, principalmente os lojistas. Isso porque o comércio varejista da cidade do Rio de Janeiro pode perder R$ 4,8 bilhões em receitas de vendas no ano. Cada dia parado representa uma perda média de cerca de R$ 405 milhões. Ao longo do ano, o comércio terá mais de 20 dias de movimento prejudicado, segundo estimativa do Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio).

De acordo com Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio, apesar dos acordos feitos entre o SindilojasRio e o Sindicato dos Empregados do Comércio que permitirem as lojas abrirem, os feriados do ano e seus possíveis prolongamentos vão penalizar os lojistas, principalmente as lojas de rua que são as que mais sofrem, especialmente o Centro da cidade, que fica completamente 'deserto'.

"Não há dúvida que este excessivo número de dias parados prejudicará o comércio. São mais de 20 dias (quase um mês) de vendas depreciadas. E não são apenas os empresários lojistas que perdem com isso. Perdem os comerciários, que deixarão de vender, o próprio consumidor, que não pode comprar, e o governo, que deixa de arrecadar impostos", avalia Aldo Gonçalves.

No caso dos comerciários, acrescenta Gonçalves, uma estimativa do Centro de Estudos do CDLRio mostra que eles podem perder quase um salário no ano, um verdadeiro 14º jogado fora. "Não somos contra os feriados em datas comemorativas – e até mesmo, quando possível, o adiamento deles. Mas somos a favor de que a sociedade civil organizada, empresários, líderes de classe e autoridades se sentem à mesa para discutir outras soluções que evitem tamanho desperdício", diz.

Feriados prolongados em 2020
25 de fevereiro (terça): Carnaval (ponto facultativo)
10 de abril (sexta): Paixão de Cristo
21 de abril (terça): Tiradentes
1º de maio (sexta): Dia do Trabalhador
11 de junho (quinta): Corpus Christi (ponto facultativo)
7 de setembro (segunda): Dia da Independência
12 de outubro (segunda): Dia de Nossa Senhora Aparecida
2 de novembro (segunda): Finados
25 de dezembro (sexta): Natal
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários