IBGE abre concurso para mais de 18,1 mil vagas no Rio de Janeiro

Do total de 208.695 oportunidades, 15.950 são para recenseadores e 2.188 para agentes censitários

Por MARTHA IMENES

ARTE IBGE
ARTE IBGE -

O IBGE abriu concurso público para preencher 208.695 vagas de trabalho temporário para fazer o Censo Demográfico 2020. Deste total, 18.138 são para o Rio de Janeiro. Sendo 15.950 para recenseadores, que exige Ensino Fundamental, e 2.188 para agentes censitários municipais e agentes censitários supervisores, ambos com exigência de Ensino Médio completo. O salário de recenseadores não foi informado pelo instituto.

Agentes censitários terão remuneração de R$ 2.100 para coordenar a operação de coleta, e os agentes supervisores receberão R$ 1.700 para supervisionar as equipes de recenseadores.

A remuneração do recenseador não foi informada porque ela será calculada com base no número de domicílios visitados, na taxa de remuneração da localidade de cada domicílio, no número de questionários respondidos e de pessoas recenseadas.

"Quanto mais pessoas ele visitar, quanto mais questionários ele responder, mais ele vai ganhar", disse Bruno Malheiros, coordenador de Recursos Humanos do IBGE. "Ele não tem salário específico, ele ganha por produção, mas ele recebe também 13º salário e férias proporcionais em relação ao que produziu", completou.

O processo seletivo vai até 24 de março e as inscrições podem ser feitas no site do Cebraspe (http://www.cebraspe.org.br/), que organiza o processo seletivo. A taxa de inscrição para as funções de Nível Médio é de R$ 35,80, enquanto a de recenseador é de R$ 23,61. Os valores podem ser pagos em qualquer banco, casa lotérica ou pela própria internet.

Os candidatos classificados no processo seletivo serão convocados para treinamento e contratação no mês de julho. Há vagas em todos os municípios do País, mas o recenseador se inscreverá para trabalhar em regiões específicas em casos que possam abranger favelas, aldeias indígenas ou comunidades quilombolas, por exemplo. A intenção do IBGE é que moradores das próprias comunidades sejam os recenseadores da região, o que facilitaria o trabalho de coleta.

 

Atenção às matérias da prova

Professor Leonardo Antonio Martins Drumond, do curso Imperium e Sistema Educandus de Ensino - Divulgação

Para os candidatos a recenseador, a prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, terá 10 questões de língua portuguesa, 10 questões de matemática, 5 questões sobre ética no serviço público e 25 questões de conhecimentos técnicos.

Para os candidatos a agentes censitários, serão 10 questões de língua portuguesa, 10 questões de raciocínio lógico quantitativo, 5 questões de ética no serviço público, 15 questões de noções de administração/situações gerenciais e 20 questões de conhecimentos técnicos.

E como são duas provas diferentes, o futuro recenseador ou agente deve separar pelo menos duas horas diárias para estudar - os concorrentes estão estudando.

O professor Leonardo Antonio Martins Drumond, do curso Imperium e Sistema Educandus de Ensino, explica que tem observado um interesse crescente por interpretação de texto nas provas de língua portuguesa aplicadas em concursos. E acrescenta: tenha cuidado com a nova ortografia, principalmente em assuntos referentes ao hífen. Segundo ele, essa foi uma das mudanças que mais tem gerado dificuldades. "Via de regra, podemos dizer que as vogais repetidas passam a ser separadas como, por exemplo, em micro-ondas, e mini-saia é grafada minissaia", dá a dica.

No caso de recenseador, em relação à matemática, pelo tipo de serviço a ser desempenhado, ele explica que o candidato deve focar em operações matemáticas. "Para um censo, as operações básicas são de vital importância. Vale a pena revisar aquelas estruturas básicas: MMC e MDC", informa Leonardo.

Para os agentes censitários a prova é diferente e exige outros focos, como o raciocínio lógico. "O candidato precisa estar atendo a todos os detalhes apresentados. É a parte matemática a requerer maior interpretação de texto. Na internet há vários testes de raciocínio lógico", orienta o professor. Outro ponto diz respeito à ética no serviço público. E pontua: "No edital está o código de Ética do IBGE. É preciso que, além de memorizá-lo, o candidato consiga entender cada item exposto. A memorização acontece melhor com o entendimento dos itens".

 

Dicas extras

DIA A DIA

O candidato precisará de, no mínimo, duas horas de estudos de qualidade diariamente. "Lembre-se de que seus concorrentes também estão estudando", pontua Leonardo.

ALIMENTAÇÃO

Leve água e petiscos como, por exemplo, chocolate e barra de cereal.

BEM-ESTAR

É importante levar um casaco, pois a sala pode estar fria devido a aparelhos de ar condicionado.

CANETA

Leve, pelo menos, três canetas pretas (exigidas para fazer a prova).

NA PROVA

No dia da prova, comece pelas questões mais fáceis. Elimine a mais errada. "E vá se assegurando de deixar claro em sua prova qual alternativa você escolheu", diz Leonardo.

CARTÃO-RESPOSTA

Na hora de transcrever a resposta para o cartão, muito cuidado. "Você precisará pintar todo o espaço da alternativa escolhida", finaliza o professor.

Iguaba Grande: prazo acaba hoje

Acaba hoje o prazo de inscrição para o concurso público 2020 da Prefeitura Municipal de Iguaba Grande. O edital Nº 1/2020 está disponível no site da prefeitura (www.iguaba.rj.gov.br). As inscrições são realizadas via internet em www.institutoibdo.com.br, até às 23h59 desta sexta-feira. Ao todo, são 304 vagas com salários que variam de R$ 1.195,92 a R$ 4.777,67. O prazo de validade é de dois anos, contados da data da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por uma única vez, por igual período.

A primeira prova será aplicada no dia 19 de abril em local e horário que serão anunciados no dia 14 de abril. A segunda prova será no dia 26 do mesmo mês. A divulgação do resultado final do concurso está prevista para o dia 29 de junho.

Galeria de Fotos

ARTE IBGE ARTE O DIA
O IBGE não revela a remuneração média dos recenseadores, mas informa que disponibilizou em simulador onde os candidatos podem verificar sua eventual remuneração Agência Brasil

Comentários