Policiais civis registram B.O. após Najila dizer que a corporação está 'comprada'

Declaração da modelo irritou os profissionais

Por O Dia

Najila Trindade
Najila Trindade -
São Paulo - Policias civis do Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD) registraram na noite da última terça-feira um Boletim de Ocorrência contra a modelo Najila Trindade, que acusa o jogador Neymar de estupro. O motivo da denuncia é a declaração que ela deu ao SBT, de que a corporação estaria "comprada".
Na ocasião, Najila se irritou com a postura da polícia em relação ao suposto arrombamento em seu apartamento em São Paulo, no qual teria sido roubado um tablet com um vídeo de seu segundo encontro com Neymar, que, de acordo com ela, provaria a culpa do atacante.
"A polícia está comprada, não é, ou não? Estou louca?", afirmou Najila.
VEJA MAIS:
O conteúdo do B.O. foi revelado pelo portal "UOL". Confira:
Desta feita, analisando o teor das declarações de Najila à imprensa, sobretudo quando questionada acerca das digitais colhidas na porta de seu apartamento, verifico ter sido maculada não só a honra da Polícia Civil do Estado de São Paulo como instituição (sendo, inclusive, tais declarações, através de nota conjunta da Associação dos Delegados de Polícia Do Estado de São Paulo e do Sindicato da mesma classe, devidamente repudiadas), mas, sobretudo à honra objetiva dos servidores lotados no IIRGD, responsáveis pela coleta do material papidatiloscópico.
Assim sendo, visando obter a condição objetiva de procedibilidade para instauração do competente Inquérito Policial com o fim de apurar os fatos supradescritos, um ofício deverá encaminhado ao IIRGD, objetivando o comparecimento dos policiais responsáveis pela coleta da prova material no apartamento da investigada, para que estes prestem declarações acerca do ocorrido e, caso sintam-se atingidos em sua honra, apresentem eventuais representações na forma preconizada pela lei (Artigos 141, inciso II e 145 parágrafo único, ambos do Código Penal).

Comentários