MPF mira pastor que vende sementes para suposta cura da covid-19

Procuradoria da República de São Paulo avalia vídeo de Valdomiro Santiago oferecendo milagre com grão

Por Bruna Fantti

Valdemiro Santiago
Valdemiro Santiago -
Rio - O vídeo em que o pastor Valdemiro Santiago oferece sementes personalizadas para os fiéis como uma suposta cura para a Covid-19 está sendo analisado pelo Ministério Público Federal e pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. A informação foi confirmada pelo O DIA.
De acordo com a Procuradoria da República de São Paulo "o vídeo está sob análise". Ainda de acordo com o órgão, cabe à esfera estadual apurar a responsabilidade civil do pastor, no caso. Já o MP paulistano afirmou que as imagens já estão sob análise de um promotor.
O religioso, líder da Igreja Mundial do Reino de Deus, aparece em um vídeo, no YouTube, ofertando aos fiéis uma semente, parecida com a de um feijão, com uma mensagem personalizada, como cura da Covid-19, pelo preço de R$ 1 mil. O pastor não foi encontrado para falar sobre o assunto.
“Vou fazer o propósito de R$ 1 mil para cada um. E muitos que estão me assistindo também vão fazer de R$ 1 mil. Outros vão fazer de R$ 500. De acordo com sua semeadeira”, diz o pastor.
Ainda no vídeo, Valdemiro diz que o fiel irá investir no “propósito semente ‘Sêtu uma bênção’”. No vídeo, op astor apresenta um suposto laudo médico de um paciente curado da Covid-19 após plantar a semente. Não é divulgado de qual planta específica é a semente,mas o líder da Igreja Mundial afirma que o slogan do propósito estará estampado na planta ao florescer.
A reportagem encontrou sementes personalizadas sendo vendidas na internet a R$ 2,20. Elas são vendidas em sites de comércio online, com grande saída para lembranças de festas, como aniversários e casamentos. Qualquer frase pode ser gravada na semente.
Em nota, a Anvisa disse que“até o momento, não há medicamento aprovado para o tratamento de Covid-19”. E, completou: “O Código Penal traz em seu artigo 273 a previsão depenas para o ato de falsificar,corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”.

Comentários