Rio

Disque-Denúncia pede informações sobre 13 traficantes que invadiram a Rocinha

Portal dos Procurados divulgou fotos de alguns dos participantes da invasão à comunidade, em setembro

Rio - O Disque-Denúncia divulgou, nesta terça-feira, um cartaz com as fotos de 13 foragidos da Justiça acusados de participação na invasão da Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, em setembro.

O cartaz tem a foto e os nomes de 13 foragidos da Justiça acusados de participarem da invasão à Rocinha Divulgação

Na imagem, aparecem: Leandro Pereira da Rocha, o Bambú, de 28 anos; Vinicius Gomes da Silva, o Titica, de 27; Rafael Paulino, o Ralf, de 24; André Andrade de Jesus, o Diamante, de 22; Jailson Barbosa Marinho, o Jabá, de 37; Igor Índio do Brasil, o DVD, de 24; Francisco Castro da Penha Gonçalves, o Novinho, de 24; Antonio Alberto Martins da Silva, Toinho, de 20; Witalo Junior Ferreira Nascimento, o Gordinho, de 18; Yuri Felix Cavalcanti, o Xereca da Paula Brito, de 20; Paulo Barbosa, o Dino, de 27; Wellington Souza Nascimento, o Mestrinho, de 20 e João Paulo Simões Martins, o Tiririca, de 25. 

Todos respondem por crimes de tráfico de drogas, associação para a produção e tráfico, dano qualificado, resistência, homicídio qualificado, roubo majorado e crimes do sistema nacional de armas. 

Traição motivou invasão

A disputa pelo controle das vendas de drogas na região começou no dia 17 de setembro, quando 60 homens da facção Amigo dos Amigos (ADA), por ordem do traficante líder da comunidade Nem, invadiram a favela, que estava sendo controlada pelo então aliado, Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157.

Rogério teria dado um 'golpe de estado', passando a controlar o tráfico da comunidade e desobedecendo as ordens de Nem. Além disso, Rogério 157 teria mudado de facção, passando para o Comando Vermelho (CV). Nem está preso em um presídio federal em Porto Velho, Rondônia. Já o rival Rogério 157 está foragido.

Depois da invasão, as Forças Armadas foram acionadas e ficaram por uma semana na Rocinha e no entorno. As políciais Civil e Militar vêm reforçando a atuação na comunidade, com operações quase que diárias e muitos tiroteios.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos acusados deve denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox) e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ. O sigilo é garantido.

Todas as informações serão encaminhadas para 11ª DP (Rocinha).

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie