Mais Lidas

Rojões são disparados por todo o Brasil após prisão de Lula

Segundo relatos de usuários de redes sociais, a manifestações à favor da prisão do ex-presidente ocorrem em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba

Por O Dia

São Paulo - Estouro de rojões são ouvidos em diversos Estados do Brasil após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sair do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, e se entregar para à Polícia Federal para iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês de reclusão, por volta de 18h42 deste sábado.

Segundo relatos de usuários de redes sociais, a manifestações à favor da prisão do ex-presidente ocorrem em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba. Quando Lula se entregou à Polícia Federal, houve fogos e buzinaços em diversos pontos de Brasília. Em Águas Claras, cidade do Distrito Federal, pessoas acenderam e apagaram as luzes em comemoração.

Na capital paulista foram ouvidos disparos de fogos e artifício nos bairros Cambuci, Vila Romana, Perdizes, Santa Cecília, Alta da Lapa, Vila Madalena e Pacaembu. Também fora disparados fogos de artifício em cidades da Região Metropolitana de São Paulo, como Santa André e São Bernardo do Campo.

 

Lula se entrega à Polícia Federal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou, a pé o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, por volta de 18h42, para se entregar à Polícia Federal (PF) e seguir para a prisão da Lava Jato, cerca de seis horas depois de comício. O comboio está levando o ex-presidente para a superintendência da PF em São Paulo. Na sequência, ele vai para o aeroporto de Congonhas, onde embarca rumo a Curitiba.

Ele vai iniciar o cumprimento da pena de 12 anos e um mês no caso triplex, determinada pelo juiz federal Sérgio Moro, em uma "sala reservada" na sede da PF na capital parananense.

A saída do ex-presidente em um carro cor prata - acompanhado de seu advogado Cristiano Zanin Martins - foi marcada por forte tensão. Militantes postados no portão de saída do sindicato impediam o deslocamento do automóvel onde está o ex-presidente. "Cercar, sentar e não deixar prender", entoavam.

Lula deixou o carro e tornou a entrar no prédio. Depois, retornou ao carro e deixou o local. Às 18h42, saiu à pé para fora do edifício, em meio à multidão que se aglomera, e percorreu até viatura da PF que estava nos fundos da entidade.

Apesar de o magistrado ter imposto ao petista que se apresentasse até às 17h desta sexta-feira, 7, Lula não arredou o pé do sindicato, onde passou duas noites e fez seu último discurso antes do cárcere.

À espera do ex-presidente, a carceragem da Polícia Federal preparou uma sala especial. Moro vetou expressamente o uso de algemas. Lula se entrega após quase dois dias de negociação intensa. A PF aceitou aguardar que ele presenciasse a missa em homenagem a sua mulher Marisa Letícia e depois se entregasse.

Com informações do Estadão Conteúdo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia