Quem bloqueia estradas está prejudicando e será responsabilizado, anuncia Temer

Presidente disse que vai implantar Plano de Segurança e convocou as Forças Armadas para garantir abastecimento e a lei de circulação no país

Por O Dia

O presidente Michel Temer em pronunciamento
O presidente Michel Temer em pronunciamento -

Brasília - Após o recrudescimento dos bloqueios em estradas de todo o país, apesar do acordo firmado na noite desta quinta-feira com lideranças dos caminhoneiras, o presidente Michel Temer anunciou a implantação de um plano de segurança para superar o desabastecimento do país. Ele lembrou que o governo atendeu a doze reivindicações dos caminhoneiros que, em contrapartida, se comprometeram a suspender a greve por 15 dias. O presidente também solicitou que os governadores encaminhem as forças de segurança para desbloquear as vias.

Segundo Temer, a crise deveria ter sido resolvida com o diálogo. "Muitos caminhoneiros estão fazendo a sua parte, mas, infelizmente uma minoria radical tem bloqueado estradas e impedido o desejo de outros caminhoneiros cumprirem seu papel", afirmou. O presidente alertou que o governo vai assumir sua autoridade para garantir o abastecimento e a lei de circulação no país. 

Ele afirmou ainda que, desde domingo, o Planalto começou a tomar providências para atender às demandas do movimento, e alertou que "cumprir o acordo (desta quinta-feira) é a melhor alternativa". "Quem bloqueia estradas está prejudicando a população e será responsabilizado", anunciou. 

O presidente da República anunciou que vai implantar o plano de segurança para superar os dados de desabastecimento.

"Acionei as Forças Federais de segurança para se encaminharem às estradas e solicito aos governadores que façam o mesmo".

"Não vamos permitir que a população fique sem gêneros de primeira necessidade: nem os hospitais sem insumos, nem nossas crianças prejudicadas por fechamento de escolas, nem produtores impedidos de trabalhar", justificou. 

 

Últimas de Brasil