Marina ainda não discutiu com partido se vai pedir impugnação da candidatura de Lula

'Não se pode ter dois pesos e duas medidas. E a Justiça, com certeza, estará zelando pelo cumprimento da lei', diz a candidata durante lançamento de campanha

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Candidata Marina Silva (Rede)
Candidata Marina Silva (Rede) -

Brasília - A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, afirmou na tarde desta quinta-feira, 16, que o partido dela ainda não discutiu se pedirá a impugnação da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado na Operação Lava Jato no caso do triplex do Guarujá (SP).

"A Justiça já está cuidando dessa questão e obviamente que não fizemos nenhuma discussão dessa natureza. Mas eu tenho insistido: a Justiça é para todos", disse.

A fala foi feita durante o lançamento oficial da campanha de Marina, que foi realizado no ambulatório Médico Voluntário do Cangaíba, na zona leste de São Paulo. A região é um forte reduto petista.

"Não se pode ter dois pesos e duas medidas. E a Justiça, com certeza, estará zelando pelo cumprimento da lei", afirmou.

O questionamento veio na esteira da decisão da procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, que, nesta quarta-feira, 15, contestou o registro de Lula. O candidato a deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), e o candidato a deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP), entraram com ação no TSE para barrar a candidatura do ex-presidente.

Hoje, o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, também contestou a candidatura do petista.

Últimas de Brasil