Mais Lidas

Livro sobre o caso Cesare Battisti chega ao site da Amazon

Lançado em 2011, obra ganha edição atualizada, diante da possibilidade de reabertura do caso

Por O Dia

Livro sobre Cesare Battisti ganha edição atualizada
Livro sobre Cesare Battisti ganha edição atualizada -

Brasília - Lançado em 2011, o livro "O Caso Cesare Battisti - A Palavra da Corte", do promotor de Justiça Walter Filho, vai ganhar uma edição atualizada que chegará ao site da Amazon na próxima semana. A obra trata da controvérsia sobre o pedido de extradição feito contra Battisti, italiano ex-membro do Proletários Armados pelo Comunismo, grupo militante e terrorista de extrema esquerda que cometeu atos ilegais na Itália durante o período conhecido como "Anos de Chumbo". Em seu livro, Walter Filho defende que houve proteção a ele nos últimos governos brasileiros. "O candidato que atualmente lidera as pesquisas (Jair Bolsonaro) diz que o caso será retomado, achei que era o momento de atualizar o livro", diz o autor.

Cesare Battisti foi preso por uso de documento falso em pleno calçadão de Copacabana, no dia 18 de março de 2007. "A República da Itália, ao tomar conhecimento da prisão, protocolizou um pedido de extradição junto ao Supremo Tribunal Federal, por entender que o italiano, sendo um terrorista e homicida condenado pela Justiça de seu país, deveria ser recambiado para cumprimento da pena imposta", explica o procurador.

Em seu livro, Walter Filho defende que Battisti recebeu ilegalmente o status de refugiado político em face de outorga do ex-ministro da Justiça Tarso Genro. Ato este que foi anulado no Supremo Tribunal Federal, que na mesma sessão autorizou a extradição. "Infelizmente, na sessão plenária, ocorrida no dia 8 de junho de 2011, o próprio Supremo entendeu por seis votos a três que o Presidente da República não estava obrigado a cumprir a extradição. Em face desta brecha jurídica deixada pelo STF, o então presidente Lula concedeu ilegalmente ao terrorista um Visto de Permanência", diz ele.

Bolsonaro afirmou nesta terça-feira no Twitter sua intenção de, se eleito, extraditar o ex-ativista de esquerda italiano Cesare Battisti, condenado por quatro homicídios em seu país. “Reafirmo aqui meu compromisso de extraditar o terrorista Cesare Battisti, amado pela esquerda brasileira, imediatamente em caso de vitória nas eleições”, disse. À AFP, Battisti reagiu: “Ele não tem nada a ver com isso porque não é ele quem decide, é o Supremo Tribunal”, enfatizou. Para o promotor, a fala de Battisti tem o tom de desafio. É justamente o pronunciamento do candidato do PSL que o levou a fazer a atualização do livro. "Penso também em relançar a obra nas livrarias".

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia