Durante encontro, assessor de Trump convida Bolsonaro a ir aos EUA

Presidente eleito bateu continência ao receber John Bolton em sua casa durante uma hora

Por O Dia

Assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, reuniu-se no início da manhã desta quinta-feira com o presidente eleito Jair Bolsonaro
Assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, reuniu-se no início da manhã desta quinta-feira com o presidente eleito Jair Bolsonaro -

Rio - Após reunião com o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), o assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, repassou um convite do presidente dos EUA, Donald Trump, para que o brasileiro visite o país norte-americano. Pelas redes sociais, Bolton e Bolsonaro publicaram relatos e fotos do encontro, que ocorreu na casa de Bolsonaro nesta quinta-feira.

O assessor de Assuntos de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, esteve com o presidente eleito, Jair Bolsonaro. O capitão da reserva bateu continência ao receber John Bolton em sua casa, em um condomínio na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, e durou uma hora.

Ele chegou pontualmente, às 7h da manhã, acompanhado do diretor de imprensa, Garrett Marquis, do diretor de Negócios do Hemisfério Oeste, Mauricio Claver-Carone, do diretor para o Brasil, David Schnier, e do Encarregado de Negócios, Bill Popp.

Também participaram do encontro os futuros ministros das Relações Exteriores, embaixador Ernesto Araújo, da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, e do Gabinete de Segurança, general Augusto Heleno. Além de Flávio Bolsonaro, eleito senador pelo Rio de Janeiro.

Antes da reunião, foi servido um café da manhã informal. A agenda não foi divulgada mas, pelo Twitter, Bolton disse que "compartilhamos muitos interesses bilaterais e trabalharemos de forma próxima para expandir a liberdade e a prosperidade por todo o continente americano".

Pela rede social, Bolton disse que oficializou o convite do presidente Trump para que Bolsonaro visite os Estados Unidos e que "está ansioso por uma dinâmica parcerias com o Brasil".

Pelo Twitter, Bolton classificou a reunião como "ampla e produtiva discussão". "Esperamos para uma parceria dinâmica com o Brasil", afirmou. Já Bolsonaro escreveu que a reunião foi "muito producente e grata".

Na terça, Bolton enalteceu o encontro que teria com Bolsonaro nesta quinta. "Achamos que seria útil para os Estados Unidos ouvir do presidente eleito as suas prioridades, o que ele pretende no relacionamento (entre os dois países)", disse o assessor, em entrevista na Casa Branca.

"Na perspectiva dos EUA, vemos essa como uma oportunidade histórica para o Brasil e para os Estados Unidos de trabalhar juntos em várias áreas como economia, segurança, e outras."

Batedores do Batalhão de Choque fizeram a escolta e fecharam vias para facilitar a locomoção dos quatro veículos que formaram a comitiva do assessor americano. Um helicóptero também acompanhou o percurso. Ele deixou o local uma hora depois sem falar com a imprensa.

*Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Últimas de Brasil