Bolsonaro volta atrás e concorda em manter Brasil no Acordo de Paris, diz Salles

Ministro do Meio Ambiente reconheceu que há oposição ao acordo climático dentro do governo mas que, 'por ora, a participação do Brasil está mantida'

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Ricardo Salles já havia defendido a permanência do País no Acordo, mas foi criticado por membros do governo
Ricardo Salles já havia defendido a permanência do País no Acordo, mas foi criticado por membros do governo -

São Paulo - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) concordou em manter o Brasil no Acordo de Paris.

Durante a campanha, Bolsonaro criticou o acordo: "Por que o Brasil tem de ficar, para ser politicamente correto?", afirmou o presidente na ocasião, concluindo que o acordo era "danoso para a nossa soberania". Na semana passada, Salles já havia defendido a permanência do País no Acordo, em entrevista à Rádio Eldorado. No entanto, foi criticado por membros do governo.

O ministro reconheceu que há oposição ao acordo climático dentro do governo mas que, "por ora, a participação do Brasil está mantida". As declarações foram dadas após almoço no Sevovi-SP com empresários do setor imobiliário.

Salles não detalhou as mudanças a serem propostas. "As metas de redução de emissão, que o Brasil e os outros países concordaram, estão OK. O problema é como você internaliza esses princípios e estes valores na legislação do País. A nossa única preocupação é se esta legislação restringe a liberdade e a ação de empreendedorismo e a gestão do território. Vamos estar muito atentos a isso", disse.

Últimas de Brasil