Coaf vê R$ 632 mil atípicos de Flávio Bolsonaro, diz revista

O valor recebido, nos cálculos do órgão, está cerca de R$ 90 mil acima do que ele teria recebido com seu salário de deputado estadual e de sua atividade como empresário

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Rio, 06/01/2019 - O policial militar Daniel Henrique Mariotti, foi enterrado na tarde deste domingo (06), no Jardim da Saudade de Sulacap, na Zona Oeste do Rio. Estiveram presentes o governador Wilson Witzel e o vice Cláudio Castro, o senador Flávio Bolsonaro, o secretário de Polícia Civil, Marcus Vinícius Braga, a Secretaria do Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Fabiana Bentes, além de amigos e familiares. -

Rio - Um novo trecho do relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), obtido pela revista Veja, aponta transações bancárias do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) que estariam acima da sua capacidade financeira. Segundo o documento, o filho do presidente teria movimentado mais de R$ 632 mil entre agosto de 2017 e janeiro de 2018.

O valor recebido, nos cálculos do órgão, está cerca de R$ 90 mil acima do que ele teria recebido com seu salário de deputado estadual e de sua atividade como empresário, em uma franquia da marca de chocolates Kopenhagen. Segundo a revista, o relatório do Coaf não informa se uma nova fonte de dinheiro, além das duas atividades, foi identificada.

A revista ainda coloca em xeque as declarações do parlamentar que, à TV Record no dia 20 de janeiro, disse que teve rendimentos maiores como empresário do que como deputado. Segundo o relatório citado na reportagem, no período de seis meses analisado, Flávio teria recebido R$ 131 mil com seus salários na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), e R$ 120 mil com a empresa.

O parlamentar não se pronunciou sobre o novo trecho do relatório Anteriormente, o parlamentar negou irregularidades e disse que é "vítima" de uma perseguição judicial e midiática. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários