Massacre em Suzano: MP vai investigar possível prática de 'terrorismo doméstico'

Também será apurada a possível existência de uma organização criminosa que tenha colaborado com os dois criminosos

Por O Dia

Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, local do massacre
Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, local do massacre -

Rio - O Ministério Público de São Paulo (MPSP) vai investigar o massacre de Suzano, que terminou com 10 mortos, entre eles os dois responsáveis pelo ataque. A linha central a ser apurada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) será a de "terrorismo doméstico". Também será apurada a possível existência de uma organização criminosa que tenha colaborado com os dois criminosos.

Ainda na quarta-feira, o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, designou o promotor Rafael Ribeiro do Val para o caso e um Procedimento Investigatório Criminal (PIC) foi instaurado através de portaria. Em entrevista à TV Cultura, Smanio afirmou que é muito importante também "esclarecer qual a origem das armas utilizadas no ataque".

Um velório coletivo com seis das 10 vítimas do ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, acontece desde às 7h desta quinta-feira na Arena Suzano, no Parque Max Feffer. O espaço está lotado de parentes, amigos e moradores da região, que se solidarizam com o massacre que chocou o país e teve repercussão mundial. A cerimônia é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

Comentários