Alexandre de Moraes revoga censura a revista e site jornalísticos

Decisão foi divulgada depois de o decano do STF, ministro Celso de Mello, divulgar mensagem em que reafirma que qualquer tipo de censura é "prática ilegítima"

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Brasília - O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, durante audiência pública sobre os aspectos mais relevantes do projeto de Código de Processo Penal. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - O ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, durante audiência pública sobre os aspectos mais relevantes do projeto de Código de Processo Penal. (Marcelo Camargo/Agência Brasil) -

Brasília - O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu, nesta quinta-feira, revogar a própria decisão que havia censurado a revista digital "Crusoé" e o "Antagonista".

A decisão foi divulgada depois de o decano do STF, ministro Celso de Mello, divulgar mensagem em que reafirma que qualquer tipo de censura – mesmo aquela ordenada pelo Poder Judiciário – é "prática ilegítima" e, além de intolerável, "constitui verdadeira perversão da ética do Direito".

Na última quarta-feira, o ministro Marco Aurélio Mello havia chamado de "censura" e "retrocesso" a decisão anterior de Moraes que havia determinado a remoção do conteúdo jornalístico.

 

Comentários