Baterista da banda RPM, Paulo Pagni morre aos 61 anos

Músico estava internado em estado grave com complicações respiratórias desde o dia 14 de maio

Por O Dia

P.A., baterista do RPM, morre aos 61 anos
P.A., baterista do RPM, morre aos 61 anos -
São Paulo - Morreu na manhã deste sábado, aos 61 anos, o baterista da banda R.P.M, Paulo Antonio Pagni, conhecido como P.A. Ele estava internado em estado grave na UTI do Hospital São Camilo, na cidade de Salto, em São Paulo, desde o dia 14 de maio, com grave condições respiratórias por causa de uma pneumonia. A informação foi divulgada pela banda no início da noite. 
P.A morreu às 8h40 da manhã por insuficiência respiratória e broncopneumonia. Paulo Pagni deu entrada na unidade com infecção pulmonar, apresentando dificuldade respiratória. Ele foi diagnosticado com fibrose pulmonar. O baterista, que entrou para a banda RPM em 1985, completou 61 anos no dia 1º. de junho. O velório será em uma Araçariguama (SP), cidade onde o músico morava. Ele deverá ser enterrado neste domingo (23), no cemitério municipal. 
A banda afirma que apoia a família e pede orações e bons pensamentos a todos. 
"Neste momento de dor e de uma certa fragilidade pela perda de uma pessoa tão querida e próxima, estamos buscando forças para não deixar que nada falte para honrar nosso amigo, prestando apoio de todas as formas e providenciando todos os trâmites para que ele possa ser dignamente sepultado ao lado de seus pais em Araçariguama (SP)", escreveu a banda em nota.
O grupo afirma que apesar do momento doloroso, mantém a apresentação marcada para a noite deste sábado em Garopaba, em Santa Catarina, em respeito ao público e à prefeitura. " Temos o compromisso doloroso, porém imprescindível, de fazer o show dessa noite. Por vários motivos e pela honra de nosso irmão, sempre apaixonado pelo seu trabalho e extremamente profissional", assinam Fernando Deluqui, Luiz Schiavon e Dioy Palloneo, integrantes da banda.

A banda informa que antecipou a volta para São Paulo para participar do velório neste domingo pela manhã.
A banda

Sucesso na década de 1980, o RPM se separou várias vezes nos últimos anos. Após uma série de brigas e discussões, no ano passado a banda anunciou que iria voltar a compor sem a participação de Paulo Ricardo nos vocais, uma atitude decidida após disputa judicial.

No mais recente anúncio, a banda disse que sairia em turnê com nova composição: Dioy Pallon (voz e baixo), Fernando Deluqui (voz e guitarra), P.A. na bateria e o tecladista Luiz Schiavon, fundadores da banda.
Morte foi anunciada no início do mês equivocadamente
No início deste mês, o vocalista da banda, Fernando Deluqui, havia informado a morte do músico equivocadamente, por uma falha de comunicação da equipe médica da clínica onde P.A estava internado antes de ser transferido ao Hospital São Camilo. 
* Com informações do Estadão Conteúdo.

Comentários