Polícia descobre idosa mantida em cárcere privado por pelo menos 20 anos em São Paulo

Suspeitos estão presos por sequestro e cárcere privado; Iva da Silva de Souza vivia em dois cômodos sem contato com outras pessoas e era mantida em situação análoga à escravidão

Por O Dia

Dupla será encaminhada à audiência de custódia
Dupla será encaminhada à audiência de custódia -
São Paulo - A Polícia Civil de Vinhedo prendeu, na noite de segunda-feira um casal, de 47 e 65 anos, por sequestro e cárcere privado de uma idosa. O caso foi registrado no plantão da delegacia do município e a dupla será encaminhada à audiência de custódia. Iva da Silva de Souza de 63 anos estava presa há pelo menos 20 anos. Ela vivia em dois cômodos da casa sem acesso à rua e não tinha contato com outras pessoas.
A corporação descobriu o crime ao ir à casa do casal Écio Pilli Júnior, de 47 anos, e Marina Okido, de 65 anos, por causa de uma denúncia de estelionato contra os suspeitos. Quando chegaram ao local, encontraram a vítima, que era mantida em situação análoga à escravidão. Ela era obrigada a cuidar da mãe da mulher presa, de 88 anos, sem receber salário ou benefício. Ela também relatou à polícia ter sofrido agressões. Quando os policiais abordaram o casal, a vítima pediu ajuda. O casal tentou disfarçar a situação, que pareceu estranha aos policiais. 
A polícia levou o casal para depor. Na delegacia, foi constatado que a família de Iva registrou um boletim de ocorrência por desaparecimento no fim dos anos 90. Os suspeitos estavam com o documento da idosa e entregaram aos policiais.
Conforme a polícia, Écio Marina usaram os documentos da vítima para abrir conta em banco e emitiam cheques sem fundos em nome dela. Os golpes no comércio levaram a Polícia Militar à casa dos suspeitos de estelionato.
A mulher de 63 anos é natural de Colorado, no Paraná, e foi para São Paulo trabalhar como empregada doméstica na casa do casal em Campinas. Posteriormente, eles se mudaram para Vinhedo.

A vítima foi levada para um abrigo municipal. Já a mulher de 88 anos que era cuidada por ela estava muito debilitada e foi encaminhada para a Santa Casa de Vinhedo.
Iva contou ter sido trazida ainda jovem do Paraná pelos pais de Marina para trabalhar como doméstica deles, mas depois passou a ser empregada do casal. Além de cuidar da mãe de Marina, desde que esta se tornou idosa, ela também fazia as tarefas de casa e acabou submetida à situação análoga à de escravidão.

Ela contou que, por várias vezes, foi agredida pelo casal e impedida de sair de casa. Iva não podia se comunicar com a família por carta ou telefone. Os dois retiveram seus documentos pessoais e os usavam para aplicar golpes no comércio.

O casal foi indiciado em inquéritos por estelionato, tortura e cárcere privado. A vítima foi encaminhada para um abrigo municipal. A polícia tenta contatar os familiares dela no Paraná

A investigação também vai apurar se outras pessoas sabiam da situação da vítima e acobertaram o caso. 

Comentários