Com cortes na Educação, UFMS não terá como pagar água e luz a partir de agosto

Reitor da instituição afirmou que, caso o governo não libere nenhum recurso, universidade não conseguirá pagar as contas a partir do próximo mês

Por O Dia

Ministro da Educação, Abraham Weintraub
Ministro da Educação, Abraham Weintraub -
Mato Grosso do Sul - O reitor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) afirmou, nesta segunda-feira, que a universidade não conseguirá honrar com seus pagamentos de água e energia elétrica a partir de agosto, e que existe risco de suspensão das aulas. A informação foi dada ao programa Bom Dia MS, da Rede Globo local.
"A partir de agosto, se o governo não desbloquear um recurso, nós não temos como honrar o pagamento dessas contas, principalmente de água e luz", afirmou o reitor, Marcelo Turine, ao programa.
Desde que os cortes no orçamento da educação foram anunciados pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, no final de abril, diversas universidades públicas anunciaram que haveria a possibilidade de suspensão de suas aulas.
Turine afirmou que está negociando com as concessionárias que fornecem energia elétrica e água para a UFMS, e que, caso não haja uma tolerância com os atrasos ocasionados pelos cortes no orçamento feitos pelo Ministério da Educação (MEC), haverá suspensão das aulas.
Ele afirmou ainda que, desde que os cortes foram anunciados, a universidade já está enfrentando problemas, mas que, até o momento, os compromissos estão sendo honrados – cenário que irá mudar já no próximo mês, caso não haja desbloqueio de recursos.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários