Joice apresenta Power Point contra Eduardo Bolsonaro e acusa: 'Líder dos ataques virtuais'

Durante CPI da Fake News, Joice acusou Eduardo Bolsonaro de liderar ataques nas redes sociais contra inimigos da família do presidente

Por iG

Um dos Power Point de Joice
Um dos Power Point de Joice -

Brasília - Em seu depoimento na CPI das Fake News, comissão parlamentar mista de inquérito que investiga notícias falsas nas redes sociais e assédio virtual, a deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP) afirmou , nesta quarta, que o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e  o "gabinete do ódio" são os responsáveis por liderar os ataques virtuais a inimigos da família Bolsonaro. Ela também disse que há dinheiro público envolvido no disparo.

No último dia 19, ela havia prometido que iria apresentar um "tsunami de gravíssimas informações" quando fosse depor. Ela explicou que o metódo utilizado nos ataques começa com a escolha de um alvo e é combinado o momento do ataque, que começa com publicações de pessoas de verdade, seguido por disparos de mensagens por robôs. 

"Em questão de minutos, temos uma informação espalhada para o mundo inteiro. A sensação que é passada é para que muitos fiquem aterrorizados com o levante da internet", afirma. Joice explica que é utilizado dinheiro público para realizar os disparos, estimando que já foram gastos R$ 500 mil.

Joice Hasselmann na CPI da Fake News - Geraldo Magela/Agência Senado

"Eduardo está amplamente envolvido e é um dos líderes desse grupo que chamamos de milícia virtual", disse, destacando também que as redes sociais do filho do presidente são uma das mais influentes nos ataques.

Segundo a deputada, os assessores de Eduardo também são responsáveis pelos ataques. Cita como exemplo o perfil "Bolsofeios", que seria do assessor Carlos Eduardo Guimarães.

Joice também afirma que consultou peritos que afirmam que há 1,4 milhão de seguidores robôs na conta do Twitter de Jair Bolsonaro e 468.775 na de Eduardo. "São quase 2 milhões de robôs seguidores, quero crer que o presidente não sabe disso", disse. Joice usou uma apresentação de Power Point para divulgar a informação.

Deputados bolsonaristas temem que a fala de Joice possa comprometer o presidente Jair Bolsonaro. A deputada era aliada do presidente, mas a crise no PSL e a destituição dela do cargo de líder do governo na Câmara a levaram a assumir uma posição mais crítica e contrária a Bolsonaro. 

Joice é a terceira ex-aliada de Bolsonaro a ser ouvida pela Comissão. O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) e o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo da Presidência, já depuseram. Ambos criticaram a influência do círculo pessoal do presidente e questionaram as estratégias de comunicação do grupo. 

O senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPI das Fake News, afirma ter grandes expectativas para a fala de Joice. “Pelo que dizem, ela vai trazer muito conteúdo que visa comprometer o governo. Mas não nos cabe fazer nenhum pré-julgamento. Cabe a ela trazer informações que sejam recheadas de verdade para a CPI não se tornar apenas um palanque político de pessoas querendo se promover", ressalva.

Assista à fala de Joice na CPI da Fake News:

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Um dos Power Point de Joice Reprodução
Joice Hasselmann na CPI da Fake News Geraldo Magela/Agência Senado

Comentários