MEC afirma que vai não vai renovar contrato com entidade que gera TV Escola

TV Escola foi criada em 1995 e é transmitida em canal aberto em algumas cidades do País. Recentemente, virou alvo de polêmica ao veicular série com Olavo de Carvalho

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Fachada do Ministério da Educação (MEC), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.
Fachada do Ministério da Educação (MEC), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. -
São Paulo - O Ministério da Educação (MEC) informou nesta sexta-feira, que não renovará o contrato com a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), responsável por gerir a TV Escola. O contrato se encerra no fim deste ano.

Questionado se encerrará as atividades da TV Escola, o MEC afirmou que "estuda a possibilidade de as atividades do canal serem exercidas por outra instituição da administração pública". Somente no ano passado, o contrato com a Roquete Pinto foi de R$ 73 milhões, mas sofreu redução neste ano.

O TV Escola foi criado em 1995 e é transmitido em canal aberto em algumas cidades do País. A TV chegou a fazer parte do Ministério da Educação, mas desde 2015 mantém apenas contrato de gestão com a pasta para produção de conteúdo e gestão operacional.

Recentemente, virou alvo de polêmica ao veicular em sua programação a série "Brasil sem medo", que conta com a participação do escritor Olavo de Carvalho, guru da ala ideológica do governo Bolsonaro. A série faz releituras sobre a ditadura militar e outros períodos históricos do Brasil sob viés conservador.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários