Bolsonaro promete reconduzir Camargo à Fundação Palmares, se reverter decisão

Jornalista, cuja nomeação foi suspensa por decisão judicial, critica a celebração do Dia da Consciência Negra, diz que a escravidão foi 'benéfica' e afirma que o Brasil tem um 'racismo nutella'

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Sérgio Camargo e mulher
Sérgio Camargo e mulher -
Brasília - O presidente da República, Jair Bolsonaro, prometeu nesta sexta-feira, reconduzir o jornalista Sérgio Camargo à presidência da Fundação Cultural Palmares, se o governo tiver êxito na tentativa de reverter a decisão judicial que suspendeu o ato de nomeação.

A suspensão foi decidida pelo juiz federal substituto Emanuel José Matias Guerra, da 18ª Vara Federal de Sobral, que argumentou que a nomeação "contraria frontalmente os motivos" que levaram à criação do instituto.

A Advocacia-Geral da União apresentou recurso ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) contra a liminar, mas a Corte manteve a suspensão da nomeação.

Não há ainda informação sobre possível recurso da AGU a tribunais superiores.

Sérgio Camargo foi indicado no rol de mudanças promovidas pelo novo secretário especial da Cultura, Roberto Alvim. Após o anúncio, no entanto, diversas publicações do presidente nas redes sociais levaram a questionamentos sobre sua visão sobre o movimento negro.

Nos posts, Camargo critica a celebração do Dia da Consciência Negra, diz que a escravidão foi "benéfica" e afirma que o Brasil tem um "racismo nutella".
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários