Ministério da Justiça planeja comprar tablets para presos

Ideia é permitir que internos conversem virtualmente com os seus familiares durante a pandemia do novo coronavírus

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Anúncio da medida provocou reações no Twitter
Anúncio da medida provocou reações no Twitter -
Brasília - O Ministério da Justiça planeja comprar 600 tablets para permitir que os presos no sistema federal conversem virtualmente com os seus familiares uma vez na semana durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Por segurança, as visitas presenciais foram suspensas para tentar conter contágios da doença nos presídios.
De acordo com a pasta, os tablets também deverão ser usados para reuniões de trabalho e audiências judiciais por videoconferência.

Ainda não há uma estimativa sobre o valor da compra dos equipamentos. Segundo o Ministério da Justiça, os recursos virão do Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD). A pasta ainda está em fase de tratativas para fechar o convênio e formalizar a compra.

No Twitter, o Ministério da Justiça afirmou que esta é "mais uma medida do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) para evitar o contágio do coronavírus no sistema prisional".
"Sem poder receber visitas, os presos vão conversar virtualmente com os parentes", informou a pasta, na rede social.
Um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), compartilhou uma publicação que critica a decisão.
"Excelente prioridade, hein?", questiona a postagem que o parlamentar reproduziu pelo Twitter.

Comentários