Secretário de Vigilância envia carta de despedida e afirma que gestão de Mandetta acabou, diz colunista

Wanderson Kleber de Oliveira disse que saída de ministro da Saúde deve ocorrer nas próximas horas ou nos próximos dias e anunciou que deixará Secretaria com a saída do chefe. Carta foi divulgada pela colunista Mônica Bergamo, da 'Folha de S. Paulo'

Por O Dia

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, e o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, durante a divulgação de boletim sobre a covid-19
O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, e o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, durante a divulgação de boletim sobre a covid-19 -
O secretário de vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, enviou uma carta de despedida aos subordinados na quarta-feira. Ele afirmou que "a gestão de Mandetta acabou" e que deixará a pasta com a saída do chefe. O texto foi divulgado nesta manhã pela colunista Mônica Bergamo do jornal 'Folha de S. Paulo'. Oliveira disse que saída de Mandetta é esperada para próximas horas ou próximos dias.
"Ontem tive reunião com o Ministro e sua saída está programada para as próximas horas ou dias. Infelizmente não temos como precisar o momento exato. Pode ser um anúncio respeitoso diretamente para ele ou pode ser um Twitter. Só Deus para entender o que o querem fazer", diz parte do texto.

Galeria de Fotos

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, durante a coletiva de imprensa sobre à infecção pelo novo coronavírus Marcello Casal JrAgência Brasil
Secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, disse que a pasta pretendia espalhar 'centros de coleta de emergência' por todo o Brasil para acelerar a realização de testes Marcello Casal JrAgência Brasil
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta Marcello Casal Jr/Agência Brasil
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, explicou como será a construção do hospital de campanha em Goiás Marcello Casal JrAgência Brasil
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa sobre o enfrentamento ao novo coronavirus Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Luiz Henrique Mandetta, Ministro da Saúde Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde MArcello Casal Jr/Agência Brasil
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta disse que vai ficar à frente da pasta e que inimigo real é a Covid-19 MArcello Casal Jr/Agência Bras
Wanderson de Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde Agência Brasil

"De qualquer forma, a gestão do Mandetta acabou e preciso me preparar para sair junto, pois esse é um cargo eletivo e só estou nele por decisão do Mandetta", afirma ainda o secretário.

Em outro trecho, Wanderson Oliveira diz que tem certeza que parte do trabalho na Secretaria irá continuar. "É uma Secretaria técnica e sempre nos pautamos pela transparência, ética e preceitos constitucionais", diz. O secretário diz que indicou Gerson Pereira para secretário interino. "Ele é um Profissional excelente e vai dar seguimento a tudo que estamos fazendo", escreve.
"Muito obrigado por me permitir estar Secretário Nacional de Vigilância em Saúde. Jamais imaginei que seria o primeiro enfermeiro a ocupar tão elevado e importante cargo e o primeiro de muitos que virão", finaliza a carta.

Comentários