Governo exonera secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde

Em entrevista, Antonio Carlos afirmou que não era possível continuar quando 'as coisas começam a se agravar com interferência direta em decisões que não se baseavam em critérios científicos, não dava para continuar'

Por O Dia

Sede do Ministério da Saúde
Sede do Ministério da Saúde -
Rio - O governo federal exonerou o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Carlos Campos de Carvalho. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União, desta sexta-feira, e segundo o documento, ocorreu "a pedido". O pedido foi assinado pelo Ministro da Casa Civil, general Braga Netto.
Antonio Carlos ficou no cargo por 18 dias e em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", o secretário afirmou que a decisão por ampliar o uso de cloroquina em pacientes com sintomas leves do coronavírus foi precipitada e não há evidências científicas sólidas, que podem trazem riscos graves a saúde.
Na entrevista, o médico e biofísico contou que pediu a exoneração na segunda-feira, dois dias após a saída do ministro da Saúde, Nelson Teich. "Não participei [da elaboração do documento] e nem participaria", admitiu ele na entrevista. "No momento em que o ministro pede para sair e as coisas começam a se agravar com interferência direta em decisões que não se baseavam em critérios científicos, não dava para continuar", reforçou.
Ele também informou que chegou a apresentar, ao ministro Teich, uma proposta para acelerar os estudos do uso da cloroquina e hidroxicloroquina em nível ambulatorial.
No cargo, o secretário ficava responsável pelo desenvolvimento e análise da capacidade científica, tecnológica e produtiva nacional para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). 
 

Comentários