Mourão vira cabo eleitoral e faz campanha para Marco Aurélio, candidato do PRTB à Prefeitura do Recife - Reprodução
Mourão vira cabo eleitoral e faz campanha para Marco Aurélio, candidato do PRTB à Prefeitura do RecifeReprodução
Por IG - Último Segundo
Publicado 12/10/2020 09:15 | Atualizado há 4 dias
Brasília - Em mais de uma oportunidade, o vice-presidente Hamilton Mourão mostrou ter postura bastante diferente do presidente Jair Bolsonaro, seja em declarações ou ações. Agora, com a aproximação das eleições municipais, não foi diferente: enquanto um evita "colar" sua imagem aos candidatos, o outro "mergulhou de cabeça" nas campanhas.
Segundo informações do jornal O Globo, Mourão decidiu virar garoto propaganda do PRTB, partido ao qual é filiado e onde recebeu o apelido de "Pelé" do presidente da sigla, Levi Fidelix. Até o momento, já são mais de 200 gravações para apoiar os candidatos a prefeito e vereador ao redor do país.

O discurso, decorado e padronizado, evita menções ao governo federal e ao presidente, optando por ressaltar as qualidades dos candidatos e o fato de o partido ser de direita e ter renunciado ao Fundo Eleitoral, além de pontos definidos como "melhores princípios da administração pública".

Ainda de acordo com a publicação, as gravações "in loco" foram poucas, como o apoio dado ao candidato Marco Aurélio Meu Amigo, que tenta uma vaga na prefeitura do Recife. Porém, em sua maioria, a imagem de Mourão é apenas figurativa, com alguns dos apoiados utilizando, inclusive, uma réplica de papelão do vice-presidente durante as gravações.

Em apenas dois dias, Mourão gravou cerca de 200 vídeos para os candidatos da sigla, que foram escolhidos a partir de critérios de avaliação das chances de vitória nas urnas. Entretanto, os vídeos não se restringem aos políticos filiados ao PRTB: o vice-presidente também aparece em um vídeo de apoio a um amigo de Bolsonaro, o ex-assessor Waldir Ferraz, que é candidato a vereador no Rio.

Sobre o presidente, o jornal aponta que interlocutores revelaram que Mourão chegou a conversar com ele antes de realizar as gravações para "evitar atritos". No governo, a avaliação é de que as imagens de ambos são bastante separadas e uma eventual derrota do "Pelé do PRTB" nas urnas não comprometeria o futuro de Bolsonaro.