No Acre, Marina Silva defende que eleitor vote em quem acredita
 - Agência Brasil
No Acre, Marina Silva defende que eleitor vote em quem acredita Agência Brasil
Por O Dia
Publicado 13/10/2020 20:18 | Atualizado há 3 dias
Brasil - O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, afirmou, na tarde desta terça-feira, através de uma rede social que excluiu o nome da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva e ex-candidata à Presidência da República da lista de personalidades negras da instituição. 
Segundo ele, Marina "não tem não tem contribuição relevante para a população negra do Brasil" e "disputar eleições não é mérito". Ele, ainda, acrescenta que o ambientalismo da ex-ministra do Meio Ambiente vem sendo questionado e não é o foco das ações da instituição.
Publicidade
Na publicação, ele também afirma que Marina Silva autodeclara-se negra por "conveniência política". Ele diz que não é um caso isolado, pois para ele outros nomes conhecidos também são "pretos por conveniência". 
"Jean Willys, Talíria Petrone, David Miranda (branco) e Preta Gil também são pretos por conveniência. Posar de "vítima" e de "oprimido" rende dividendos eleitorais e, em alguns casos, financeiros", afirmou o presidente da instituição.
Publicidade
Esta não é a primeira vez que o presidente da Fundação Palmares retira nomes da lista de personalidades negras. Em setembro, Camargo retirou o nome da candidata à prefeitura do Rio e ex-governadora do Rio, a deputada federal Benedita da Silva (PT), da lista da fundação. A justificativa, mais uma vez pela sua página oficial no Twitter, foi de que a petista responde a um processo por improbidade administrativa e que seus bens foram bloqueados.