As reuniões começam a partir desta terça - Itamar Crispim/Fiocruz
As reuniões começam a partir desta terçaItamar Crispim/Fiocruz
Por O Dia
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deve apresentar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) os resultados de segurança e eficácia da vacina de Oxford até o início de dezembro. A expectativa é que a vacina seja aprovada em fevereiro e distribuída para a população em março. Atualmente, a vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca é a mais avançada em estudos e está sendo testada no Brasil. Quem deu a informação foi a Rosane Cuber, vice-diretora de Qualidade de Bio-Manguinhos, da Fiocruz. As informações são do Portal G1. 
Um “pacote” de informações está sendo repassado à Anvisa desde setembro sobre as etapas de produção no Brasil, segundo a vice-diretora. Além da vacina de Oxford, a Fiocruz também está trabalhando em paralelo com pelo menos outras quatro vacinas, que ainda estão na fase de testes com animais. 
Publicidade
O vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Krieger afirmou que os testes mundiais estão sendo feitos com mais de 57 mil voluntários, em 7 países, e têm sido "bastante consistentes". "O que se mostrou até agora é uma resposta extremamente desejável nos pacientes idosos, que é uma população mais vulnerável no combate à Covid-19", acrescentou Marco. 
Em 2021, serão entregues 210,4 milhões de doses em 2021, sendo 100 milhões no primeiro semestre, de acordo com informações do vice-presidente. "A vacina vem sendo produzida a um preço bastante acessível, a preço de custo. O acordo prevê a entrega de mais de 200 milhões de doses em 2021", finalizou.