Motivo da briga teria sido o barulho emitido pela caixa de som do outro candidato - Reprodução Facebook
Motivo da briga teria sido o barulho emitido pela caixa de som do outro candidatoReprodução Facebook
Por IG - Último Segundo
Minas Gerais - Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, dois candidatos a vereador do mesmo partido, brigaram no meio da rua na noite desta quarta-feira durante uma carreata. O motivo da pancadaria teria sido uma caixa de som. Um dos envolvidos chegou a ficar desacordado e precisou ser levado ao hospital. As informações são do portal O Tempo.
O evento organizado pela coligação "Oposição de Verdade”, encabeçada pelo candidato a prefeito Thiago Mariscal (PSC) acontecia pelas vias da cidade. Nela, participavam os postulantes a parlamentar do município, Clodoaldo Cabral (PSC), que estava em uma caminhonete, e Guilherme Boca Aberta (PSC), que pilotava uma moto com uma caixa de som.

Clodoaldo teria se irritado com a altura do volume do jingle de Guilheme e, em certo momento, os dois começaram a discutir, até que Cabral desceu da caminhonete, foi agredir o outro candidato e derrubou sua moto no chão.

"Eu estava fazendo a minha campanha com a minha motinha de som. Fui para a carreata tocando minha musiquinha, assim como todos os outros. Como a minha moto ficava indo e voltando, e ele nem som tem, ele ficou irritado, dizendo que estava atrapalhando", disse Boca Aberta em entrevista ao O Tempo.

"Ele desceu da caminhonete e me deu uns três socos, só que como eu estava de capacete, não me atingiu direito, só me arranhou. Então, ele me agarrou pelo pescoço e me deu uma gravata. Nisso, eu comecei a dar socos nele, mas eu desmaiei. Ele só parou quando algumas pessoas bateram nele, principalmente nas costelas. Se não fosse isso, ele ia me matar", relatou.

Após o incidente, a Polícia Militar e o Samu foram acionados. Guilherme foi socorrido e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) São Benedito, também em Uberaba. A vítima fez alguns exames, foi medicada e liberada, já que apresentava apenas escoriações.

De acordo com o boletim de ocorrência, o responsável pela agressão teria fugido do local, não sendo mais localizado. Entretanto, na fuga, ele deixou o celular cair no chão, que foi recolhido pela polícia.

Defesa

O jornal O Tempo tentou entrar em contato com Clodoaldo, mas não teve sucesso. Em suas redes sociais, o candidato escreveu que "não tem nada mais irritante do que escutar várias mentiras e ter que ficar calado".

Por outro lado, o candidato a prefeito Mariscal se pronunciou sobre o caso, dizendo que houve um desentendimento que "ninguém queria que tivesse acontecido, mas aconteceu", explicou em vídeo ao lado de Boca Aberta.

Ainda de acordo com o portal, em nota à imprensa, a coligação afirmou que o "mal entendido deve ser apaziguado entre as partes, no sentido de preservar o verdadeiro sentido da campanha eleitoral, que é o pleno exercício da democracia", escreveu.