O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante coletiva na sede da Fiocruz nesta segunda-feira
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante coletiva na sede da Fiocruz nesta segunda-feiraJorge Costa / Agência O Dia
Por
Rio - O ministro da Saúde Eduardo Pazuello, disse, durante entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira na sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, que espera entregar, para todo o país, de 25 a 28 milhões de doses da vacina contra a covid-19 fabricadas pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz até o fim deste mês. Anteriormente, Pazuello tinha projetado a distribuição de 46 milhões de doses.
"A nossa previsão é de que a Anvisa e Fiocruz ajustem os processos durante essa semana. Nosso objetivo é ter em março próximo de 25 a 28 milhões de doses já realmente entregues para que possamos cumprir o Plano Nacional de Imunização", disse o ministro.
Publicidade
Pazuello também pediu o apoio do Governo Federal e do Congresso Nacional com ações junto a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros governos e laboratórios para que haja a aceleração da entrega das vacinas. Além disso, citou a importância da distribuição de doses semanalmente.
Publicidade
"No dia de hoje nós estamos recebendo mais 2,5 milhões de doses para ir para a distribuição durante a semana para os estados. Espero que a partir da semana que vem, ou no máximo na outra, nós já tenhamos entregas da Fiocruz somadas semanalmente as entregas do Butantan", finalizou.  
Alteração no número de entregas de vacinas
Publicidade
- 46 milhões - previsão feita em fevereiro 
- 38 milhões - previsão do início de março
Publicidade
- 30 milhões - previsão de sábado (6)
- 25 a 28 milhões - nesta segunda (8)
Publicidade
Falha técnica das máquinas
Estava prevista a fabricação de 15 milhões de doses de vacina Oxford/AstraZeneca para março para distribuição nacional. Mas uma falha em uma das máquinas responsáveis por processar o medicamento diminuiu a capacidade de produção do imunizante. Agora, a Fiocruz anunciou a promessa de distribuir 3,8 milhões de unidades até o final do mês
Publicidade
Segundo a Fundação, a falha teria acontecido na parte da máquina responsável pela recravação, que envolve o processo de lacre das doses. A interrupção ocorreu na última semana e suspendeu integralmente a produção do imunizante. A Fiocruz também informou que o problema foi resolvido e a fabricação da vacina já foi retomada.
Até julho, a previsão é de que 112 milhões de doses sejam disponibilizadas. Em abril, 30 milhões de unidades serão produzidas, seguidas de 25 milhões em maio, mais 25 em junho e por fim 16,6 em julho.