Secretário da PM do Rio recusa blindados doados pela Lava Jato

Rogério Figueredo não quis carros-fortes apreendidos da Trans-Expert e cedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas

Por CÁSSIO BRUNO

O secretário Rogério Figueredo
O secretário Rogério Figueredo -
RIO - Rogério Figueredo, secretário da Polícia Militar, recusou uma doação do juiz federal Marcelo Bretas de 25 carros-fortes blindados apreendidos pela Lava Jato no Rio. O magistrado também ofereceu R$ 125 mil recuperados na operação para serem usados na manutenção dos veículos que pertenciam à Trans-Expert, transportadora de valores. No encontro com Bretas, Figueredo alegou que o próprio governo do estado mandaria fabricar 30 ‘caveirões’, por R$ 11 milhões, em uma empresa de Maricá. O modelo chegou a ser apresentado pela cúpula da PM dentro corporação, mas recebeu críticas de policiais.

TRANSPORTADORA FOI USADA POR CABRAL

De acordo com a força-tarefa do Ministério Público Federal, 17 mil caixas de documentos foram encontrados em um depósito da Trans-Expert, na Pavuna, Zona Norte. A transportadora, segundo os procuradores, era usada pelo ex-governador Sérgio Cabral (MDB) como uma espécie de banco para guardar e distribuir dinheiro de propina. No início de 2018, Bretas também ofereceu os carros-fortes apreendidos ao então governador Luiz Fernando Pezão (MDB) antes dele ser preso na Lava Jato. Pezão recusou.

GOVERNO NÃO COMPROU OS ‘CAVEIRÕES’

Procurado durante os últimos dois dias pela Coluna, o secretário da PM, Rogério Figueredo, não respondeu. Até hoje o governo do estado não comprou os novos ‘caveirões’ prometidos. Questionada, a Polícia Militar também não informou quando será realizada a licitação para a aquisição dos veículos. Além disso, a corporação não revelou quantos blindados estão sendo usados nas operações, já que muitos deles estavam parados por falta de manutenção.

TUDO PARA BARRAR O PRÓPRIO PROJETO

Evangélico, o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) faltou ao trabalho ontem em Brasília. Preferiu ir à Câmara Municipal, onde foi vereador. Mas por um motivo: fazer lobby para que um projeto de lei de sua autoria, acredite, não fosse aprovado! A proposta era para a criação de abrigos públicos exclusivos para a turma LGBT. Mas... encerraram a votação antes que passasse pelo crivo dos parlamentares.

POLÍTICO FAZ CORPO A CORPO

Um parlamentar foi visto ontem, por volta das 18h, em uma termas no Centro do Rio. O danadinho, veja só, foi eleito por um partido conservador à Alerj. No local, era chamado pelas moças de ‘deputado’.

FURIOSO CONTRA EX-PETISTA

Em discurso, Alexandre Knoploch (PSL) acusou a Segurança da Alerj de “doutrinação ideológica” contra Bolsonaro por causa de uma palestra. O chefe do setor é Zaqueu Teixeira, que ataca o presidente na rede social.

LAVARAM A ROUPA SUJA

A deputada estadual Alana Passos ficou chateada com o colega Marcelo do Seu Dino. Ela pediu a requisição de um PM condenado por extorsão para trabalhar na 1ª Vice-Liderança do PSL indicado pelo parlamentar.

PENTE-FINO EM SEIS MIL PESSOAS

Marcelo do Seu Dino alegou não saber da condenação do PM. O caso foi revelado pela Coluna. Na terça, ele e Alana apresentarão projeto de resolução para que nomeados na Alerj apresentem certidão negativa criminal.

COM O PIRES NA MÃO

Os barracões das escolas na Cidade do Samba estão parados. A turma, como se sabe, não tem mais verba da prefeitura e o contrato com a TV Globo ainda não foi assinado.


PICADINHO

O III Ciclo de Palestras ‘Pesquisas em Comunicação e Cultura’ é hoje, 14h, na Casa de Rui Barbosa.

Hoje, às 19h, o ‘Samba que elas querem’ estará na Banca do André, Rua Pedro Lessa, 1, Centro. De graça.

Acontece neste fim de semana a feira ‘O Mercado’, no IAB Flamengo, de 13h às 20h, com mais de 50 produtores. Gratuito.

SOBE

DIRETOR PREMIADO

Gustavo Pizzi dirigiu ‘Benzinho’, o principal vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro deste ano.

DESCE

FILHO DE FLORDELIS

Flávio dos Santos Rodrigues foi indiciado por morte do pastor Anderson do Carmo e transferido para presídio.

Comentários