Eduardo Speroni, de 'O Sétimo Guardião', venceu resistência dos pais para virar ator

Ator, que na novela das nove enfrenta o preconceito do pai para ser dançarino, disse que lutou pelo sonho de ser ator. "Atualmente, eles me apoiam", comemora

Por Gabriel Sobreira

Eduardo Speroni
Eduardo Speroni -

Rio - Na ficção, Bebeto (Eduardo Speroni) luta contra o preconceito do pai para realizar o sonho de ser dançarino em 'O Sétimo Guardião', da Globo. E na vida real, Speroni enfrentou resistência da família quando decidiu que seria ator. "Meus pais acreditavam que isso seria uma escolha muito difícil e pouco reconhecida. Um estigma que acontece com muitos que trabalham com a arte", lembra ele, que faz sua estreia na TV.

Quando Eduardo mostrou aos pais que o ofício de ator envolvia muito esforço, estudo, dedicação, conseguiu mudar o pensamento deles. "Atualmente, eles me apoiam integralmente. Assistem à novela praticamente todos os dias e buscam fazer comentários construtivos", diz, cheio de orgulho.

Na novela de Aguinaldo Silva, Nicolau (Marcelo Serrado) sonha em ter um filho jogador de futebol, que lhe renda fama e fortuna. Mas Bebeto nunca levou jeito para a bola, e o negócio dele mesmo é dança. Isso contraria o gosto do chapeiro, que fala que dança "não é coisa de homem, mas de viado" (palavras do personagem preconceituoso). Speroni conta que tem recebido muito apoio do público, que torce pelo personagem e que repudia as atitudes e o pensamento conservador de Nicolau.

"Isso me incentiva. Sinto que estou comunicando algo capaz de transformar culturalmente a sociedade. A novela é assistida por milhares de brasileiros e tocamos em temas polêmicos que, na minha opinião, devem ser criticados e levados a debate", afirma o ator de 25 anos. "Infelizmente, o preconceito ainda está na criação do jovem brasileiro. Muitos adolescentes continuam sendo vítimas de homofobia nas escolas. Dentro de suas casas, o patriarcado dominador e a figura machista do pai ainda estão muito presentes. Isso tem que mudar", defende.

Para fazer bonito na tela, antes de começarem as gravações, Eduardo fez dois meses de preparação com a coreógrafa Sonia Destri Lee, diretora da Cia Urbana de Dança. O objetivo era passar pelos fundamentos e depois aprofundar o street dance. Detalhe: o ator nunca tinha praticado antes essa dança. "Continuo estudando e treinando por conta própria e, em breve, iniciarei mais um período de preparação oficial", conta.

Nos próximos capítulos, Bebeto será chamado para fazer um teste em uma academia de dança em Greenville. Até aí tudo bem, só que ele vai dar de cara com a irmã no ônibus para o teste. Se ele passar, acha que abre o jogo para a família ou vai esconder a carreira de dançarino? "Acho que ele abre o jogo. O Bebeto sonha com isso e já deixou claro ao Nicolau que não vai parar. Vai enfrentar o pai até o final", aposta Speroni.

Galeria de Fotos

Eduardo Speroni Sergio Baia/Divulgação
Eduardo Speroni interpreta o Bebeto na novela das nove: desejo de ser dançarino fotos Sergio Baia/Divulgação

Comentários