Bárbara: single 'Perfeitamente Imperfeita' - Divulgação
Bárbara: single 'Perfeitamente Imperfeita'Divulgação
Por BRUNNA CONDINI

Rio - A música ‘Perfeitamente Imperfeita’, single da carioca Bárbara Eugênia lançado na última semana, tem a cara do verão e cai bem no clima de Carnaval. A canção faz parte do disco ‘TUDA’, que tem lançamento previsto para o começo de março, e traz nela a inspiração do calor que os novos encontros causam.

A faixa era uma balada romântica, que se tornou um samba-reggae, e conta com um coro masculino praiano que fi cou a cargo de Dustan Gallas e Zé Nigro, além de integrantes do Bloco Pagu, Lenis Rino e Clayton Martin.

“Lancei recentemente ‘Bagunça’ também, que tem a participação do Zeca BaleiBárbara: single ‘Perfeitamente Imperfeita’ ro”, divulga. “Das 11 músicas do disco novo, só uma não é autoral”, diz a cantora.

“Não gosto de definir o som, acho que é limitar. Justamente, meu disco novo vem com esse lance de ter muitas influências, muitas referências diferentes, um pouco de ‘tuda’. Mas se for pra botar num rótulo fácil, é pop”, conclui, avisando que ‘Perfeitamente Imperfeita’ está disponível em todas as plataformas digitais.

SOBRE SENTIMENTOS

Bárbara mora em São Paulo desde 2005 e contabiliza 10 anos de carreira solo. Ela conta que a ida para a terra da garoa foi fundamental para desenvolver sua música.

“Comecei em 2007, 2008, quando gravei com Apollo 9 para a trilha sonora do filme ‘O Cheiro do Ralo’. No Rio, eu já nem pensava mais em cantar, então vir pra São Paulo foi a melhor coisa que me aconteceu”, revela. E fala das versões que precisou desenvolver, além da cantora, na trajetória para continuar fazendo seu som. “Há 17 anos, trabalho como tradutora, e me formei massoterapeuta ano passado. Já fi z de tudo nessa vida. Já fui assistente de executivo, gerente de restaurante, cicerone de gringo para festival, e por aí vai”.

Ela comenta que na música começou compondo e só depois foi subir no palco. E sobre o que ela curte falar nas canções? “Desde a primeira letra, sempre o amor. Não sei porque começou assim. Mas hoje o amor tomou outras dimensões na minha vida e na música”, analisa. “Já não falo só do amor romântico. O amor cósmico, universal, divino. Acho muito importante ter esse tipo de conexão”

BLOCO DO PODER

Além do projeto autoral, Bárbara Eugenia faz parte do Bloco Pagu, um bloco feminino com mais de 100 mulheres na bateria, que sai na capital paulista na terça-feira de Carnaval. “Está ficando cada vez maior, mais lindo e poderoso!”, vibra, sobre o bloco que terá ensaio aberto na Casa Natura com participação de Marina Lima no dia 19 deste mês.

Animada, a artista adianta os planos profissionais. “Cantar no Japão é uma meta. Sonho ter minhas músicas gravadas por artistas que amo. Quero cantar com Erasmo Carlos, Air, PJ Harvey e Radiohead. E seguir cantando o amor”, diz. 

Você pode gostar
Comentários