Gabriel Stauffer na batalha contra o preconceito

Em 'O Sétimo Guardião', personagem do ator está envolvido em trama sobre machismo

Por BRUNNA CONDINI

Gabriel Stauffer
Gabriel Stauffer -

Rio - Ele está em sua segunda novela e no horário nobre. O ator Gabriel Stauffer, o Walid de 'O Sétimo Guardião', vive na ficção o homem que foi um grande carateca antes de sofrer um acidente e ficar impossibilitado de praticar. "Nunca tinha feito nenhuma arte marcial antes. Tinha vontade, curiosidade. Então com ele, pude dar uma mergulhada nisso. Fiz aulas com o Roberto, que é nosso sensei e também prepara a Laryssa Ayres (a Diana). Ele continua a nos acompanhar, é um trabalho contínuo", diz Gabriel.

O ator conta que, durante a preparação, o universo corporal do personagem foi o que demandou mais sua atenção. "Estudei muito sobre artes marciais. Nunca tinha tido contato antes. Assisti a muitos vídeos de caratê. E como sabia que o Walid mancava, trabalhei essa parte corporal", revela. "Minha namorada, Natasha Jascalevich, é atriz e faz preparação, direção de movimento também, então ela tem um olhar melhor pra isso. Ficamos experimentando".

O personagem precisou abrir mão de um sonho e encontrou outro ofício. E o ator, já precisou abrir mão de um grande sonho? "Nunca. Na verdade, sempre corri muito atrás dos meus sonhos", garante. "Antes de ser ator, era publicitário. Como tinha o sonho de ser ator, larguei tudo, tranquei publicidade no Paraná e vim para o Rio estudar teatro na CAL. Tinha 21 anos. Me formei em 2013, emendei um trabalho no outro desde então".

Na trama, o sensei e instrutor de Diana acaba se apaixonando pela pupila. E esse romance, engata? "Juro que não sei muita coisa. Sabemos que eles estão começando esse romance. Aposto muito neles, acho que o Walid tem muito pra ajudar a Diana nesta carreira de carateca", torce. "Ele acabou se apaixonando porque ela é uma menina forte, que vai com tudo atrás dos sonhos. Acho que essa casal pode ser bem legal".

Emblemáticos

Aos 30 anos, o curitibano vive pela segunda vez na TV um papel que suscita discussões importantes, dentro e fora da trama. Na novela de Aguinaldo Silva, entre outras questões, o personagem vai ter que lidar com o extremo machismo de Nicolau (Marcelo Serrado), pai de Diana. "Acho que o Walid é muito educado, um mestre das artes marciais. Lida com essa grosseria do Nicolau sempre com muito respeito, no diálogo", diz o ator, que em 'A Força do Querer' foi Claudio, apaixonado pela Ivana (Carol Duarte), que se descobriu um homem trans no decorrer da trama.

"Acho que é importante trazer essa discussão numa novela das 21h, porque vivemos um machismo estrutural na nossa sociedade. A nossa história sempre foi contada por homens. Importante pensar que não tem isso de 'coisa de menino, coisa de menina'. Nosso trabalho como artista também é trazer luz para algumas discussões, algumas coisas que a sociedade está carente, que achamos que pode mudar".

Comentários