'Nossa essência nesses 40 anos é a mesma', conta Biff Byford, do Saxon

Banda de heavy metal se apresenta nesta sexta no Vivo Rio e cantor falou com O DIA

Por RICARDO SCHOTT

Banda britânica Saxon faz show no Rio de Janeiro, no Vivo Rio
Banda britânica Saxon faz show no Rio de Janeiro, no Vivo Rio -

Popularizados no fim dos anos 1970, época em que o rock pesado voltava a ficar popular (era a chamada nova onda de bandas do heavy metal, da qual surgiram grupos conhecidos como Iron Maiden e outros nem tanto, como Anvil e Tigers Of Pan Tang), os ingleses do Saxon lançam em agosto um disco novo, ao vivo, 'The Eagle Has Landed 40', em comemoração às quatro décadas do grupo.

Bem antes disso, nesta sexta, os fãs vão poder conferir a força de hits como '747 (Strangers in the Night)' em apresentação no Vivo Rio. Na bagagem, o grupo traz dos grandes clássicos - lançados em álbuns como 'Wheels Of Steel', de 1980 - a músicas do disco mais recente, 'Thunderbolt', lançado no ano passado.

"Nossa essência nesses 40 anos é a mesma: grandes melodias, grandes riffs de guitarra, grandes letras. Não mudou", esclarece ao DIA o vocalista Biff Byford, um dos dois únicos remanescentes dos primeiros tempos da banda (o outro é o guitarrista Paul Quinn). "Nossos valores foram construídos em cima de valores da classe operária britânica".

Como aconteceu com vários gigantes do metal e do hard rock, o Saxon resistiu a algumas mudanças de formação com o passar do tempo. Hoje, Byff e Quinn dividem espaço com Nibbs Carter (baixista desde 1988), Doug Scaratt (guitarrista desde 1996) e Nigel Glockler (baterista, entrou e saiu da banda algumas vezes desde 1981 e está fixo novamente desde 2005).

"Não acho que a gente sinta falta dos primeiros tempos de banda, mas lembramos de tudo", brinca Biff. A grande diferença é a maneira como mantêm por perto os admiradores. "Temos um grande exército de fãs ao redor do mundo e mantemos contato pelas redes sociais hoje em dia".

Amigos para sempre

A onda de bandas de heavy metal do fim dos anos 1970 deu em nomes que se tornaram gigantes do gênero, cada um com sua assinatura. Outra das bandas britânicas mais populares desse período, o Motörhead, liderado pelo vocalista e baixista Lemmy Kilmister, se tornou amicíssima do Saxon. Biff e seus companheiros os homenagearam no disco 'Thunderbolt' com 'They Played Rock´n roll'. A música está presente no set list da turnê latinoamericana do Saxon.

"Nossa primeira turnê, em 1979, já foi com o Motörhead. Eles nos ajudaram a conseguir fãs naquela época. Eles, o Deep Purple e o Led Zeppelin foram nossas grandes referências musicais", explica o músico.

Roubados

Em 1º de junho de 2017, o Saxon passou por um perrengue em Umeå, na Suécia: enquanto estavam no palco, um ladrão roubou passaportes, telefones e carteiras de seu camarim. Apesar de terem chamado a polícia imediatamente e de contarem com uma testemunha, nunca recuperaram os bens perdidos. "Não sei nem se o ladrão foi pego, mas provavelmente ele está com telefones novos e alguma grana", conta o vocalista.

Galeria de Fotos

Banda britânica Saxon faz show no Rio de Janeiro, no Vivo Rio SWILLUS
Banda britânica Saxon faz show no Rio de Janeiro, no Vivo Rio SWILLUS
Banda britânica Saxon faz show no Rio de Janeiro, no Vivo Rio SWILLUS
Banda britânica Saxon faz show no Rio de Janeiro, no Vivo Rio SWILLUS

Comentários