Mais Lidas

Pretinho da Serrinha lança disco de estreia na Fundição Progresso nesta quinta

Músico diz que precisou se sentir confiante para soltar a voz. "Mas o produtor me disse que as pessoas queriam ouvir no meu disco o Pretinho, não o Pavarotti", brinca.

Por RICARDO SCHOTT

Pretinho da Serrinha lança CD com show na Fundição Progresso
Pretinho da Serrinha lança CD com show na Fundição Progresso -

Mesmo com toda a experiência (são trinta anos acompanhando artistas), Pretinho da Serrinha confessa que está nervoso. O músico lança nesta quinta na Fundição Progresso seu primeiro disco solo, 'Som de Madureira'. Por causa da expectativa da estreia, tem conseguido dormir umas cinco horas por noite.

"Já 'estreei' vários artistas, mas é minha primeira estreia. Eu me cobro bastante, vão ter vários amigos lá... Devo isso a todo mundo que me ajudou. Acho que a única sensação parecida que tive foi quando cantei no Prêmio da Música Brasileira. Tava cheio de artistas, a música popular brasileira estava lá. Foi maior nervosismo. Mas passa tão rápido que quando você vê, já acabou e você nem curtiu!", brinca Pretinho, que só vai relaxar de verdade alguns dias depois do show: poucas horas depois da Fundição, entra num avião e vai tocar com os Tribalistas em Montevidéu, Uruguai.

Voz

'Som de Madureira', primeiro disco solo de Pretinho, passou por várias etapas até ficar pronto. As primeiras gravações aconteceram em novembro de 2016.

"Demorei por causa de muitas turnês nas quais eu me envolvia, e porque eu mesmo queria estar confiante. Achava que ainda não estava do jeito que eu queria, que minha voz não estava legal", conta Pretinho, que apesar de produtor, pôs o parceiro Prateado no cargo, para ter uma visão "de fora". Por sinal, o solista deve a Prateado um pouco da confiança que adquiriu para soltar a voz e fechar o álbum.

"Prateado me falou: 'Cara, quando as pessoas ouvirem seu disco, elas estarão esperando ouvir o Pretinho. Ninguém vai estar esperando ouvir o Pavarotti'", brinca. "Acordei isso na cabeça e fui logo gravando umas cinco vozes".

A preocupação do músico com os vocais quase deixou 'Paratodos', releitura de Chico Buarque, de fora do disco. "Eu pensava: 'Música do Chico não pode estar mais ou menos!'. Mas tive a ideia de chamar o Quarteto em Cy para fazer os vocais. A Cynara (do Quarteto) é minha ex-sogra, já gravei em discos delas. Depois que elas cantaram, me senti confortável para gravar de novo", recorda.

Direção e convidados

Pretinho dirigiu o DVD de Maria Rita, a quem considera uma irmã. Depois propôs à cantora que ela fizesse a direção musical de seu show - o resultado, você confere na Fundição. "Tenho até mais estrada que ela, mas ela tem mais experiência como cantora", conta o multimúsico, que sobe ao palco com convidados: a própria Maria Rita, Lulu Santos e Jorge Aragão.

No disco, a filha de Elis solta a voz em 'Nada Vai Mudar' e Lulu, na faixa-título. Mas o autor de 'Como Uma Onda' ainda vai ficar mais um pouco no palco. "Fiz versões samba de 'Aviso Aos Navegantes' e 'Apenas Mais Uma de Amor'. Mandei para ele, que falou: 'Vou cantar!'. Já pensou o Lulu cantando samba?", alegra-se.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários