Teatro Odisseia completa 15 anos com festival que dura até agosto

A lista de atrações tem festas de música eletrônica, rock e funk, e show de Gabriel Elias e Carol Biazin

Por RICARDO SCHOTT

O empresário e agitador cultural Leo Feijó, que mantém o Teatro Odisseia
O empresário e agitador cultural Leo Feijó, que mantém o Teatro Odisseia -
Fundado em 2004 na Lapa, o Teatro Odisseia completa 15 anos com um festival que já está em seu início e vai até o fim de agosto (confira ao lado a programação de junho). Pela frente, os frequentadores da casa vão encontrar shows variados (no domingo, os novos popstars Gabriel Elias e Carol Biazin fazem show no teatro) e festas de rock, pop, funk e música eletrônica.
O empresário Léo Feijó, que já foi sócio do Grupo Matriz (ao qual o Odisseia já pertenceu, junto com lugares como a Casa da Matriz), é hoje o único dono da casa. E comemora a resiliência do teatro, que mantém uma agenda de festas e shows de porte médio.
"A palavra é mesmo resistência. Ao longo desses 15 anos, vivemos ciclos de mercado. Imaginamos a casa como uma plataforma para novos artistas, mas vimos que, na Lapa, precisávamos ser mais diversificados. A Miúcha cantou na primeira semana, depois tivemos shows de Walter Alfaiate e Teresa Cristina, e hoje a casa agenda uma série de shows de punk e heavy metal. O metal, em particular, adotou a casa! E foi naturalmente", conta Léo, que no teatro, agenda também festas em que se toca samba e ritmos nordestinos.
De todos os lugares
Outra palavra importante para se entender o Odisseia é intercâmbio. Faz parte da assinatura do teatro manter contato com outras casas do Rio. "As marcas só querem falar de grandes eventos. Só que o Rio tem 20 casas, entre elas o Circo Voador e Audio Rebel, que são frequentadas por 800 mil pessoas por ano. E quase todas não têm contatos com essas grandes marcas", contabiliza Feijó. E também trazer artistas de todo o Brasil e do exterior para fazer parte do cenário da Lapa.
"No sábado, tivemos o Wander Wildner, que é gaúcho, e um nome emblemático para a casa. Assim como nós, ele mantém uma história sem nunca ter tido um patrocínio", aponta Léo. "A vida noturna do Rio mudou muito. Nossa festa de 15 anos é para dizer que vamos retomar a missão da curadoria, de chamar artistas que a gente quer ver no palco em vez de ficar só esperando alugarem a casa".
Programação de junho:
Dia 19 (qua): Festa da Noite Alemã (Deutsche Nachparty). às 23h. R$ 25.

Dia 20 (qui): show FBC + Choice. Às 22h. R$ 30.

Dia 21 (sex): show do Matanza Inc. Às 21h. R$ 40.

Dia 22 (sáb): Festa PQP. às 23h. R$ 35.

Dia 23 (dom). Show Gabriel Elias e Carol Biazin. Às 17h. R$ 50.

Dia 27 (qui): Shows de Aline Lessa e Almir Chiaratti. Às 21h. R$ 40.

Dia 28 (sex): Shows da Camerata Laranjeiras e de Dudu Oliveira. Às 21h. R$ 40.

Dia 29 (sáb): Festa K-POC | K-POP. às 23h. R$ 35.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

O empresário e agitador cultural Leo Feijó, que mantém o Teatro Odisseia Divulgação/Mariana Serran
O empresário e agitador cultural Leo Feijó, que mantém o Teatro Odisseia Divulgação/Mariana Serran

Comentários