Entenda a treta entre Taylor Swift, Scooter Braun e Justin Bieber

A indústria do pop está em chamas com a confusão entre Taylor Swift e... todo mundo

Por O Dia

Taylor Swift e Justin Bieber na época em que ainda eram 'amigos'
Taylor Swift e Justin Bieber na época em que ainda eram 'amigos' -
Rio - O mundo do pop, que vivia um breve momento de paz depois que Taylor Swift e Katy Perry se reconciliaram, está em polvorosa novamente. Neste domingo, Taylor Swift publicou em seu Tumblr um longo desabafo depois de descobrir que o empresário Scooter Braun, representante de famosos como Justin Bieber, Demi Lovato e Ariana Grande, comprou sua antiga gravadora, a Big Machine Label Group.
Com o acordo, que seria de 300 milhões de dólares, Scooter passa a ter o domínio da discografia do início da carreira de Taylor. Os seis primeiros álbuns da cantora passam a ser dele.
Decepcionada, Taylor Swift disse que nunca recebeu proposta da gravadora para comprar seu próprio trabalho e que este é "o pior cenário possível". A cantora vinha tentando, sem sucesso, readquirir os direitos sobre seu material nos últimos anos. Taylor Swift deixou a Big Machine em novembro de 2018, quando fechou com a Republic Records e Universal Music Group.
"Eu tive a oportunidade de voltar para a Big Machine Records e ‘conquistar’ um álbum de cada vez, para cada disco novo que eu entregasse. Eu não aceitei porque sabia que, uma vez que assinasse o contrato, Scott Borchetta venderia a gravadora e, por consequência, meu futuro. Eu tive que tomar a decisão dolorosa de deixar meu passado para trás. Músicas que eu escrevi no chão do meu quarto e vídeos que eu sonhei e paguei do meu dinheiro que ganhei tocando em bares, clubes, e, então, arenas e estádios", lamentou a cantora. 
Treta com Scooter Braun e Justin Bieber
Taylor Swift também afirmou que o novo dono de sua antiga gravadora, Scooter Braun, praticou "bullying manipulador e incessante" contra ela. "Como quando Kim Kardashian orquestrou, de forma ilegal, a gravação de uma ligação telefônica para ser vazada e Scooter fez com que dois de seus clientes praticassem bullying contra mim”, escreveu. “Ou quando seu cliente Kanye West organizou um clipe com ‘pornô da vingança’ que me mostra nua. Agora Scooter tirou de mim o trabalho da minha vida – que não tive a oportunidade de comprar. Essencialmente, meu legado musical vai parar nas mãos de alguém que tentou destruí-lo", disse. 
"Sempre que que Scott Borchetta (antigo dono da gravadora) ouviu as palavras ‘Scooter Braun’ escaparem da minha boca foi quando ou eu estava chorando, ou tentando não chorar. Ele sabia o que estava fazendo. Os dois sabiam. Controlar uma mulher que não queria seu nome associado a eles. Perpetuamente. Isso significa para sempre", lamentou. 
Justin Bieber, amigo de longa data de Scooter Braun, postou uma foto provocando Taylor Swift. Posteriormente, o cantor postou um "pedido de desculpas", mas acabou criticando a cantora novamente em tom de ironia.
"Oi, Taylor. Em primeiro lugar, eu gostaria de me desculpar por publicar aquela foto e mensagem dolorosa no Instagram. Na época, eu achei que era engraçado, mas olhando para trás, foi de mau gosto e insensível. Ele foi a pessoa que me disse para não brincar daquele jeito... Scooter lhe protegeu desde os dias em que você, graciosamente, deixou de me abrir os seus shows! Conforme os anos passaram, nós não nos cruzamos e não tivemos a oportunidade de comunicar as nossas diferenças, dores e frustrações", disse Bieber.
A mulher de Justin Bieber, Hailey Baldwin, disse que o marido foi "cavalheiro" ao pedir desculpas. "Cavalheiro? Desejo que você gaste menos tempo apoiando homens e mais tempo tentando entender as mulheres e respeitando suas reações válidas. Como um homem casado, você deveria levantar as mulheres ao invés de derrubá-las só porque está ameaçado. Não tenho certeza se você entende o que é um pedido de desculpas. Esta questão que Taylor está falando é mais do que uma foto e você sabe disso. Como você disse, você não fala com ela há anos, o que significa que você definitivamente não entende a situação. Eu dou um passo atrás e tendo aprender com isso. Todos nós devemos estar no mesmo time. Fim de história", repreendeu a modelo Cara Delavigne, que está do lado de Taylor Swift.
Famosos como Halsey, Todrick, Cara Delevingne, Selena Gomez (ex-namorada de Bieber) e até Katy Perry defenderam a cantora. Já Demi Lovato ficou do lado de Scooter Braun. "Fazer alegações de que alguém é homofóbico é realmente sério. Por favor, não espalhe informações que não são verdade, porque eu posso garantir que você, Scooter, não é. Como membro da comunidade LGBTQ+ eu mesma, ele não teria assinado comigo se ele fosse. Não há ódio, apenas tentando esclarecer isso". Depois, a artista foi para seu Stories: "Eu tenho lidado com pessoas más nesta indústria e Scooter não é um deles. Ele é um bom homem. Pessoalmente, estou grato por ele ter vindo à minha vida quando o fez. Por favor, pare de 'arrastar' as pessoas ou intimidá-las. Há ódio suficiente neste mundo como ele é. (...) Vocês podem vir atrás de mim o quanto quiserem, mas eu sempre vou ficar leal à minha equipe. Eu valorizo a lealdade mais do que a maioria das pessoas neste mundo e se meu nome vai ser trazido em conversas, eu vou me levantar por mim e pela minha equipe", disse Demi.   
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários