Vitinho revela que aprendeu a gerir sua carreira fuçando vídeos no YouTube

"Aprendi até marketing e a mexer no Photoshop", revela o pagodeiro, que acaba de gravar o segundo DVD

Por RICARDO SCHOTT

O cantor Vitinho
O cantor Vitinho -

Rio - Sabe o YouTube? Foi no site de vídeos que o sambista Vitinho aprendeu a gerir sua carreira — que hoje rende shows lotados, clipes com vários views e seu segundo DVD, 'Sonhos', gravado na quadra da Beija-Flor no último Dia dos Namorados com as participações especiais de Péricles, Sorriso Maroto, Imaginasamba, Pixote, G15, Mr. Dan, Pedrinho do Cavaco e Tiee.

"Eu aprendi a cuidar de marketing e a fazer minhas artes no Photoshop. Tudo isso no YouTube. Eu e meu empresário também desenvolvemos um modelo para vender os shows. A gente não tinha escritório, mas eu falava que tinha um", diz, rindo, Vitinho, que lança o DVD no segundo semestre. "Quando apareci solo, o pagode estava passando por um momento delicado. Os investidores não estavam acreditando em projetos que ainda não estavam concretos. Eu levava porta na cara, muita gente não acreditou em mim".

Vitinho também montou seu próprio canal do YouTube. "Vi que a galera estava querendo ver vídeos mais crus, sem efeitos. Eu mesmo gravava meus vídeos com o celular, comigo tocando violão, e o pessoal começou a ver", conta ele, que passou a fazer covers de pagode. E não esteve livre de passar por situações meio bizarras no começo. Algumas foram bem antes da carreira solo. "No meu antigo grupo, cantei no Terreirão do Samba e tive como público minha mulher, a mulher de um outro músico e um bêbado", diz, rindo.

Disfarce

O tal grupo do qual Vitinho participou foi o Disfarce — foi o primeiro trabalho do cantor na capital, após chegar de sua cidade, Valença, onde havia começado a carreira. Antes, havia pensado em ser militar. "Morava numa cidade pequena e nem pensava em me profissionalizar. Mas comecei a fazer vozes-guias para um compositor da cidade e comecei a ficar conhecido", recorda ele, que começou a se envolver com música na infância, porque o pai costumava tocar pagode com amigos após as peladas. "Eu ia lá e me metia nos instrumentos. Comecei a tocar aos 13 anos como tecladista num grupo. Num dia, faltou o cantor e eu me ofereci para cantar".

DVD

O nome do DVD de Vitinho é 'Sonhos', porque o cantor realizou um desejo antigo na gravação: recebeu ninguém menos que Péricles no palco, para dividir 'Sobrenome', e dois sucessos do cantor, 'Melhor Eu Ir' e 'Final de Tarde'. Os dois choraram no palco. "Fiquei muito emocionado. E o Péricles ainda me disse que acompanhava minha carreira há muito tempo, lembrou até de '22 Minutos', sucesso do Disfarce", diz.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

O cantor Vitinho Divulgação
O cantor Vitinho Divulgação

Comentários