Sertanejo de Niterói, João Gabriel lança EP em arraiá no Morro da Urca

'João Gabriel No Morro' foi produzido por Blener Maycom, o mesmo que concebeu 'Jenifer', de Gabriel Diniz. "Fui à Goiânia fazer aula de canto", conta

Por RICARDO SCHOTT

João Gabriel, sertanejo de Niterói
João Gabriel, sertanejo de Niterói -
João Gabriel Daflon Devolder, nascido em Niterói em 1985, tem um sotaque de fazer inveja ao ex-cantor do Rappa, Falcão. Mas é um cantor sertanejo das terras cariocas. Canta desde criança, desbravou lugares em Niterói e no Rio em que o estilo musical nem passava na porta, já teve músicas em trilhas de novelas e, contratado pela Universal, lança o EP e DVD 'João Gabriel no Morro', gravado no Morro da Urca. O disco também ganha lançamento lá - é nesse sábado, no Arraiá no Morro, em que divide o palco com Monobloco e MC Marcinho.
"Eu sempre acreditei no sertanejo. Sou um cara da praia, mas meu refúgio é no campo. Sempre gostei de campo, de cavalo", conta João Gabriel, que mora até hoje em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói. "Nunca tive problema de ser sertanejo e morar por aqui. Meu problema era que, quando comecei aqui, não tinha onde me apresentar. Fomos abrindo a porteira. Eu cantava num lugar que nem era uma casa noturna. Era uma hospedaria de cavalos. Botava um palquinho lá, fazia o meu show e de repente o local reunia mais de mil pessoas".
'João Gabriel no Morro' é o primeiro DVD a ser gravado na área externa do Morro da Urca. O lugar era um velho sonho de João Gabriel. "Não sabia nem como chegar lá. Não era algo como bater na porta e falar com a gerência", brinca. "Fomos conhecendo muita gente e vimos que era possível, daí planejamos tudo. Tivemos algumas dificuldades. Caiu a maior chuva, o palco nem havia sido montado antes do show, mas conseguimos", recorda.
Pós-graduação
O sotaque carioca de João Gabriel não passou despercebido ao cantor e à sua produção. Para se preparar para 'João Gabriel No Morro', o cantor ganhou a direção musical de Blener Maycom, produtor de 'Jenifer', de Gabriel Diniz, e de 'Atrasadinha', de Felipe Araújo. Blener é o coautor de quatro das seis faixas do disco: 'Lovezinho', 'Devolve meu Love', 'Pézin na Rua' (o primeiro single) e 'Não Me Deixa Mor'. Mais: o niteroiense desembarcou em Goiânia para fazer aulas de canto, na chamada "oficina" musical de Blener (da qual também saíram artistas como Naiara Azevedo e Cristiano Araújo).
"Fui lá pegar a entonação vocal do sertanejo, foi uma pós-graduação", conta. "O Blener tinha visto shows meus e, quando me encontrou, botou o dedo na minha cara: 'Você tem que gravar coisas mais comerciais!'. Disse que eu tinha que gravar temas que estavam acontecendo no momento, que iriam acontecer. Ele é um produtor muito antenado com o que está acontecendo na noite, ou em outros países".
No DVD, João gravou bachatas, e misturas de sertanejo com forró e funk. E convocou participações: o pagodeiro Dilsinho está em 'Pézin na Rua' e o funkeiro MC Maneirinho solta a voz em 'Rebola Sem Pressa'.
"Quando surgiu a ideia de fazer um pagonejo, vimos que tinha que haver uma participação. O Dilsinho é como se fosse meu irmão. É hoje o artista número um no estilo dele no país, e a gente torce muito pelo sucesso um do outro", explica. "O MC Maneirinho é meu vizinho, mora no outro quarteirão e a gente sempre se encontra na praia. Ele aceitou o convite na hora e ficou uma energia excelente na música, que passou para o público".
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

João Gabriel, sertanejo de Niterói Divulgação/Daniel Janssens
João Gabriel, sertanejo de Niterói Divulgação/Daniel Janssens

Comentários