Simone e Simaria, Luan Santana, Wesley Safadão e Alok falaram sobre as expectativas com os shows do fim de semana - Reprodução/ Instagram
Simone e Simaria, Luan Santana, Wesley Safadão e Alok falaram sobre as expectativas com os shows do fim de semanaReprodução/ Instagram
Por Nathalia Duarte
Rio - O Villa Mix já provou sua grandiosidade ao percorrer, somente na última edição, mais de 20 cidades brasileiras. Públicos de todos os cantos do país puderam conferir grandes nomes tanto da música nacional, quanto da internacional. O sucesso é tão grande que o festival vai atravessar mais uma vez o oceano e aterrissar em Lisboa, Portugal.
Durante os dias 13 e 14 de setembro, o Villa Mix Festival levará a brasilidade em terras lusitanas. E o Brasil está mais que bem representado com Luan Santana, Jorge e Mateus, Wesley Safadão, Gusttavo Lima, Mateus e Kauan, Alok, Xand Avião, Calema e Djodje no line up.

Para Simone e Simaria, que irão garantir a festa do público no primeiro dia de festival, a própria realização do evento em proporções tão grandes já é uma prova da abertura do público português para a música brasileira. "Acredito que o mercado da música brasileira esteja aberto, sim, em Portugal. É só pararmos para ver o tamanho que este Villa Mix está. Neste ano, dobrou de tamanho. Então, já é um ótimo sinal. É maravilhoso ver como a música ultrapassa fronteiras. Desde 'Meu violão e nosso cachorro', os portugueses nos abraçaram, temos diversos fãs clubes por lá. Com certeza será um show que vai ficar marcado em nossos corações”, celebra Simaria, que recebe o coro de Luan Santana: "É a certeza que a música brasileira realmente ultrapassa fronteiras. Vou todos os anos para Portugal e é sempre um prazer. Adoro o jeito acolhedor deles", diz.

Os ingressos para os dois dias de festival no Parque das Nações se esgotaram rapidamente. O local é considerado o maior pavilhão de espetáculos português e tem capacidade para receber um público de 20 mil pessoas.

“A expectativa está lá em cima. Sempre me sinto privilegiado em poder levar nossa cultura para outro país. Fazer parte de um festival assim me motiva e impulsiona a sempre fazer mais e melhor. Poder ajudar os brasileiros que vivem fora a matar pelo menos um pouquinho a saudade do nosso Brasil é uma honra”, diz Wesley Safadão.

Responsável por levar a música eletrônica aos palcos do festival, Alok é atualmente considerado uns dos maiores DJs do país. O DJ de 28 anos já agitou os palcos de diversos festivais de música ao redor do mundo: Tomorrowland, Rock in Rio, Ultra Music Festival e, claro, outras edições do próprio Villa Mix. 
Publicidade
“Eu dou o que as pessoas querem ouvir. Com o tempo a gente acaba sentindo melhor a pista e aprendendo o que cada tribo gosta de curtir. Eu respeito o que o público quer e isso também faz parte do amadurecimento profissional”, explica Alok.

Com 8 anos de história no Brasil, e uma média de 30 edições por ano em 24 cidades diferentes, o festival, que já recebeu mais de 2 milhões de pessoas e bateu recordes de bilheteira, foi por duas vezes (2015 e 2017) certificado pelo “Guinness World Records” como o maior palco do mundo.