Guedes: em dez anos de energia barata, conseguimos reindustrializar o PIB

"A própria Vale falou que se cair o preço da tarifa eu compro 30 anos de energia", comentou

Por ESTADÃO CONTEÚDO

-
Rio - O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o "choque de energia barata" buscado pelo governo, que pretende reduzir o preço das tarifas residenciais e empresariais, tem capacidade para promover uma reindustrialização do Brasil.

"A energia barata pode permitir reindustrializar o País. Podemos conseguir mais 10% de PIB, Produto Interno Bruto, industrial ao final de dez anos", discursou Guedes para empresários na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ). "A própria Vale falou que se cair o preço da tarifa eu compro 30 anos de energia", comentou.

Segundo o ministro, um estudo feito pelo economista Carlos Langoni - diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getulio Vargas e conselheiro informal de Guedes - aponta que o preço do gás pode cair em 40% em dois anos.

Guedes comemorou algumas boas notícias dos primeiros sete meses de governo, como avanços em negociações internacionais e acerca da cessão onerosa, além da queda nos juros, medidas em prol da competitividade e liberação de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

"Ao contrário de Temer, que soltou só contas inativas, estamos soltando também as ativas", ponderou Guedes. "A gente não quer atingir a construção civil. Calculamos o limite de saque exatamente para não pegar a construção civil", completou.

Presente ao evento, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, complementou a defesa de Guedes sobre redução de tarifas e privatizações.

"Sou obcecado por energia barata, sou um dos maiores obcecados por privatizar", afirmou o governador, dizendo que avançará com a privatização da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro) assim que for concluída a mudança no marco regulatório do setor.

Comentários