Comentaristas fazem comentários machistas contra seleção que disputa Copa do Mundo feminina

Ato aconteceu durante a transmissão da partida entre Central-PE e Jacuipense-BA

Por iG

Seleção da Nigéria
Seleção da Nigéria -
Rio - Durante a transmissão do jogo Central-PE e Jacuipense-BA, pela Série D do campeonato brasileiro, no último sábado (15), ao menos três radialistas esportivos da Rádio Jornal , em Pernambuco, protagonizaram uma sequência de comentários considerados machistas e racistas por ouvintes, que expuseram a situação nas redes sociais. O veículo é um dos mais antigos do país ainda em operação e é referência na cobertura esportiva no Nordeste.
No meio da partida, o plantonista Marcelo Araújo entrou no ar logo após o anúncio do gol da seleção canadense pela Copa do Mundo de Futebol Feminino, em cima das neozelandesas. Ancorando a transmissão, o narrador Iran Carvalho diz que alguém da cabine teria interesse em ser massagista (dos times em campo); ao que Araújo responde dizendo que há vaga, mas para a seleção da Nigéria . O locutor pergunta se um colega aceitaria a vaga e, entre risos, a voz de um homem ainda não identificado pela reportagem, diz: "Pois é. Falou 'Canadá', 'Nova Zelândia', todo mundo quis, né?".

Confira a transcrição do diálogo completo:

Locução: "Canadá 1, Nova Zelândia, 0. Segundo tempo de jogo, pela Copa América, Venezuela e Peru, 0 a 0"
Vinheta | Iran Carvalho: "Tem um colega aqui na cabine que disse que queria ser mas-sa-gista..."
Vinheta| Rádio jornal, futebol é com o escrete
Informa| Marcelo Araújo: "Soube que tem uma vaga na comissão técnica da Nigéria, viu?"
Iran Carvalho: "Da Nigéria, tem uma vaga lá... Será que ele aceita, Marcos Moura? O colega nosso aceita?"
Marcos Moura: "Olha, por enquanto, eu tô de férias..."
Não identificado: "Pois é, falou 'Canadá', 'Nova Zelândia', todo mundo quis, né, Iran?"
Iran Carvalho: "É verdade..."
Diante da repercussão, o plantonista envolvido no caso chegou a comentar a questão, alegando que a conversa não foi compreendida perfeitamente. Marcelo Araújo se apresenta como apresentador, professor de filosofia, sociologia, pacifista, espírita e apartidário. Sobre o caso, apenas alegou: "O contexto é outro. Uma brincadeira interna". Procurada, a Rádio Jornal não quis se pronunciar sobre o assunto.

Comentários