Chegadas e saídas: as negociações do Botafogo durante a parada da Copa América

Eduardo Barroca não conta com alguns jogadores, que podem deixar o clube; para repor estas vagas, Alvinegro busca novas peças no mercado antes de recomeço do Brasileirão

Por Lance

Eduardo Barroca
Eduardo Barroca -
Com problemas financeiros e dificuldade nos gastos, o Botafogo terá que se reinventar para contratar jogadores ao elenco. Durante a parada para a Copa América e a pausa nas competições oficiais, é esperado que o Alvinegro movimente o mercado, seja com a saída de atletas pouco utilizados pelo treinador Eduardo Barroca ou com a chegada de novos nomes.

Em relação às saídas, dois nomes aparecem com mais força. Gustavo Ferrareis, emprestado pelo Internacional até o fim do ano, e Leonardo Valencia, com uma renovação de contrato automática que dura até 2020, não caíram nas graças de Eduardo Barroca e chegaram a não ser relacionados para algumas partidas no decorrer do Brasileirão. O Alvinegro, inclusive, cogita encerrar a cessão do meia brasileiro, já que nenhuma proposta oficial chegou ao Colorado.

No início do ano, a Universidad do Chile perguntou sobre Leonardo Valencia, mas o Botafogo não mostrou interesse nas conversas à época. Há cerca de um mês, a imprensa chilena relatou que a equipe voltou a ter o meio-campista no radar e a diretoria do Botafogo aparentou estar disposta ao ouvir alguma proposta, contanto que o time estrangeiro colocasse um atacante na conversa.

Desde lá, porém, o Botafogo já supriu a carência no setor de ataque. A chegada de Victor Rangel representa menos um item na 'lista' de intertemporada de Eduardo Barroca. Com esta contratação, o treinador ganhou mais uma opção para a vaga atualmente ocupada por Diego Souza no elenco. Portanto, o clube de General Severiano, atualmente, procura jogadores para o meio.

A procura se dá justamente nas duas vagas que podem deixadas por Leonardo Valencia e Gustavo Ferrareis, atletas que podem atuar pelo centro ou pelo lado do meio-campo ou setor ofensivo. O Botafogo tentou sondar a situação de Marlone, mas o Goiás não se mostrou disposto a ouvir o meio-campista. Desta forma, a procura por um meia e um extremo continua pelas bandas do Estádio Nilton Santos.

Em relação às saídas, o jovem Glauber foi negociado com o futebol árabe por R$ 3 milhões para ajudar no pagamento de salários. Por conta da dificuldade financeira, outro jogador, se uma proposta positiva neste sentido chegar, pode ser negociado. Por outro lado, a diretoria do clube permanece de olho nas oportunidades de mercado - como, por exemplo, o que aconteceu com Victor Rangel: um jogador que veio sem custos e com baixos salários.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia