Vadão não é mais técnico da Seleção feminina de futebol

Técnico deixa o cargo um mês após a eliminação brasileira nas oitavas de final da Copa do Mundo da França diante das donas da casa

Por O Dia

Vadão encerra sua segunda passagem pela seleção brasielira feminina
Vadão encerra sua segunda passagem pela seleção brasielira feminina -

Um mês depois da eliminação nas oitavas de final da Copa do Mundo da França para as donas da casa, o técnico Vadão não é o mais o técnico da seleção brasileira feminina de futebol. A saída foi anunciada nesta segunda-feira pela CBF, em seu site, encerrando a segunda passagem do treinador, que durou um ano e dez meses. 

Vadão havia assumido a equipe nacional pela primeira vez em 2014. Sob o seu comando, o Brasil foi eliminado nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2015 e perdeu a disputa de bronze na Olimpíada do Rio (2016). Foi demitido meses depois, sendo substituído por Emily Lima.

Vadão retornou em 2017 justamente no lugar de Emily, foi campeão da Copa América de 2018, mas já chegou ao Mundial deste ano pressionado por nove derrotas consecutivas no período de preparação. Com a derrota para as francesas, nas oitavas de final, sua saída passou a ser cogitada.

"A CBF está trabalhando para a definição do próximo nome a dirigir a Seleção Feminina Principal no prazo mais curto possível. Agradecemos ao treinador Vadão pelo trabalho e dedicação, reiterando por ele nosso respeito pessoal e profissional", afirmou a entidade, em nota.

Antes mesmo de Vadão deixar o cargo, a sueca Pia Sundhage já havia sido cotada para assumir a Seleção feminina. Ela foi bicampeã olímpica dirigindo os Estados Unidos, em 2008 e 2012.

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários