Arrascaeta - Gilvan de Souza / Agencia O Dia
ArrascaetaGilvan de Souza / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - O Comitê Disciplinar da Fifa condenou o Cruzeiro a pagar 1,15 milhão de euros, aproximadamente R$ 5,1 milhões, pela compra do meia Arrascaeta ao Defensor do Uruguai. O jogador, que atualmente defende o Flamengo, foi contratado pelo clube mineiro em janeiro de 2015. No comunicado enviado ao clube mineiro nesta segunda-feira, a entidade ainda destaca que, além do pagamento pelo jogador, a Raposa deve cobrir os custos do processo, que totalizam 20 mil francos suíços, cerca de R$ 82 mil.
O julgamento ocorreu na última semana, mas as duas partes só forma notificadas nesta segunda-feira. Segundo a diretoria do clube, a decisão cabe recurso e a defesa do Cruzeiro deve solicitar os argumentos da decisão em até dez dias. O prazo para levantamento destas informações é de aproximadamente dois meses. Após este período, há mais um prazo de dez dias para interpelação e mais um prazo entre oito a doze meses para arbitragem. Passado o período de análise, caso não seja absolvido, o time mineiro terá até trinta dias para efetuar o pagamento.
Publicidade
Em 2016, o Defensor buscou a Fifa para denunciar o Cruzeiro devido a atrasos no pagamento das parcelas da compra de Arrascaeta. O valor total da negociação beirava os R$ 12 milhões (4 milhões de euros, na cotação da época), sendo 50% pelos direitos do jogador. Um parceiro do clube financiou parte da compra e o restante, foi dividido em 30 parcelas de R$ 212.800,00, que totalizam R$ 6,3 milhões.
A dívida parou de ser paga em abril de 2016 e o Defensor recorreu à federação, solicitando o restante, equivalente a R$ 5,1 milhões. Em 2017, o Cruzeiro foi condenado a pagar a dívida, mas recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte que manteve a condenação em abril deste ano. O time mineiro entrou com novo recurso e novamente foi condenado.  Quatro anos após estrear no Cruzeiro, Arrascaeta foi vendido ao Flamengo.
Publicidade
Fifa condena Cruzeiro a pagar dívida a time uruguaio pela compra de Arrascaeta
O Comitê Disciplinar da Fifa condenou o Cruzeiro a pagar 1,15 milhão de euros, aproximadamente R$ 5,1 milhões, pela compra do meia Arrascaeta ao Defensor do Uruguai. O jogador, que atualmente defende o Flamengo, foi negociado pelo clube mineiro em janeiro de 2015. 
No comunicado enviado ao Cruzeiro nesta segunda-feira, a Fifa ainda destaca que, além do pagamento pelo jogador, o clube deve cobrir os custos do processo, que totalizam 20 mil francos suíços, cerca de R$ 82 mil. 
O julgamento ocorreu na última semana, mas as duas partes só forma notificadas nesta segunda-feira. Segundo a diretoria do clube, a decisão cabe recurso e a defesa do Cruzeiro deve solicitar os argumentos da decisão em até dez dias. O prazo para levantamento destas informações é de aproximadamente dois meses. Após este período, há mais um prazo de dez dias para interpelação e mais um prazo entre oito a doze meses para arbitragem. Passado o período de análise, caso não seja absolvido, o time mineiro terá até trinta dias para efetuar o pagamento.
Em 2016, o Defensor buscou a Fifa para denunciar o Cruzeiro devido a atrasos no pagamento das parcelas da compra de Arrascaeta. O valor total da negociação beirava os R$ 12 milhões (4 milhões de euros, na cotação da época), sendo 50% pelos direitos do jogador. Um parceiro do clube financiou parte da compra e o restante, foi dividido em 30 parcelas de R$ 212.800,00, que totalizam R$ 6,3 milhões. 
A dívida parou de ser paga em abril de 2016 e o Defensor recorreu à federação, solicitando o restante, equivalente a R$ 5,1 milhões. Em 2017, o Cruzeiro foi condenado a pagar a dívida, mas recorreu ao Tribunal Arbitral do Esporte que manteve a condenação em abril deste ano. O time mineiro entrou com novo recurso e novamente foi condenado. 
Quatro anos após estrear no Cruzeiro, Arrascaeta foi vendido ao Flamengo por 13 milhões de euros (aproximadamente R$ 55 milhões).