Ex-funcionário do Santos preso por pedofilia teria usado cargo para estuprar menores

Vesco foi acusado de abusar de dois menores de idade em seu apartamento

Por O Dia

Ex-massagista do Santos, Clóvis Aparecido Vesco foi preso suspeito de pedofilia
Ex-massagista do Santos, Clóvis Aparecido Vesco foi preso suspeito de pedofilia -
São Paulo - Preso no último dia 17 de junho em uma investigação conduzida pela Polícia Civil do Estado de São Paulo, Clóvis Aparecido Vesco, é ex-massagista do departamento de futebol do Santos. Segundo informações apuradas pelo "UOL", Vesco é acusado de atrair dois menores de idade, utilizando o sonho de acesso ao futebol profissional, para o seu apartamento na baixada santista entre 2016 e 2018 e estuprá-los.
Ainda segundo a reportagem, a mãe de um dos meninos teria aberto a investigação em dezembro de 2018. A família, que reside no interior de São Paulo, havia liberado o jovem para que o filho de 14 anos viajasse para Santos com Vesco. Conhecido dos pais, o massagista, segundo o inquérito, prometeu ao garoto apresentá-lo aos jogadores do elenco profissional do clube alvinegro.
Após apresentar um comportamento estranho no retorno à sua casa, no interior, o menor relatou ter sido dopado e estuprado pelo massagista. Passando-se pelo filho, a mãe utilizou o celular do garoto para adquirir provas contra por Vesco. 
A investigação levou a Polícia ao apartamento de Clóvis Aparecido Vesco. Ali, constatou que ele vivia desde 2016 com um segundo garoto, também menor de idade e com quem não tem qualquer relação de parentesco. Foram apreendidas conversas de celular entre o acusado e o segundo jovem, drogas soníferas e uma pomada anestésica de uso local. Dois processos foram instaurados, e, em um deles, a prisão preventiva foi decretada.

Comentários