Taça da Libertadores é cobiçada por todos - Divulgação
Taça da Libertadores é cobiçada por todosDivulgação
Por O Dia
Paraguai -  A equipe do River Plate pode ter uma baixa para o jogo contra o Cerro Porteño, pela partida de volta da Libertadores em Assunção, na quinta-feira. O meia uruguaio De La Cruz recebeu, nesta quarta-feira, uma ordem de prisão da justiça paraguaia por ter agredido dois policiais há três anos quando defendia o Liverpool-URU.
Os oficiais da polícia do Paraguai foram até a concentração do River Plate para cumprir a determinação judicial emitida por Alcides Corbeta, que informou em entrevista à emissora  "TyC", que o jogador será ouvido para decidir se será liberado ou não.
Publicidade
"Ele tem que testemunhar perante o Ministério Público primeiro. Ele tem que dar uma declaração e, em seguida, o Ministério Público torna disponível ao meu tribunal para que eu possa decidir o que corresponde. O fato que é atribuído a ele é a resistência que tem uma penalidade de dois anos ou multa. Tenho que decidir se dou liberdade a ele ou não. Para essa penalidade, a liberação é possível. Nós faremos o que for apropriado.", informou Corbeta.
O jogador teria agredido os policiais na partida entre Liverpool-URU contra o São Paulo, pela Copa Libertadores Sub-20. Na época, De La Cruz e outros quatro jogadores foram autuados por "resistência à autoridade, mas todos estavam fora do Paraguai.
Publicidade
Após depor, o jogador foi liberado para voltar a concentração. De La Cruz ainda não está livre da acusação, ele precisará voltar ao Paraguai em três meses para prestar novos esclarecimentos e pagar multa.
"O jogador não estava ciente da causa. O crime não é grave, foi complicado por uma desinformação. A situação é surpreendente", afirmou Diego Tuma, advogado do jogador, à emissora TyC Sports.
Publicidade
Veja o momento da suposta agressão:
Publicidade